mere coincidence is what I try to say…

São 6 da manhã e não consigo dormir. Estou aqui sentida a sentir-me inútil e preocupada.

Ontem, dia 9, tive uma visita do meu irmão e da namorada antes de se meterem no carro para a sua viagem semanal em direcção a Borba. Pouco tempo depois tiveram um acidente. Quando estavam a ultrapassar um camião este desviou-se da sua faixa para cima deles e a Ana ao tentar afastar-se para não levar com o tipo em cima perdeu controlo do carro que capotou e foi parar a uma ravina. Ficaram presos dentro do carro cerca de uma hora e os bombeiros tiveram de cortar a porta para os tirar de lá.
Eu só soube disto às 4 da tarde, muitas horas depois. Fui até ao hospital mesmo só porque não sabia o que fazer mais. A Ana ficou com um braço partido e o antebraço aberto do cotovelo ao pulso e o meu irmão saiu relativamente inteiro, tirando umas feridas causadas pelos vidros partidos e umas nódoas negras. Mas quando o vi com a t-shirt coberta de sangue fiquei um bocado enjoada. É daquelas situações em que podia ter acabado tudo muito muito mal.

A coitada da Ana passou o resto do dia nas urgências onde tiveram de operar o braço porque a fractura é num sítio dificil de curar por si e acho que vai ter uma recuperação longa e dificil.

Um dos cães ficou com uma pata partida e ainda é possível que tenha também magoado a coluna. Só tem alguma hipótese de se safar porque um senhor simpático parou e foi ajudar, levando o cão ao veterinário. A cadela desapareceu e ninguém sabe dela. Estou para aqui a pensar que devia ter ido procurá-la mas nem sequer faço ideia onde foi o acidente. Só que acho que devia fazer mais qualquer coisa.

Portanto parece que o dia 8 de Setembro continua a funcionar como um buraco negro para mim e qualquer pessoa relacionada comigo. Não consigo deixar de me sentir responsável, por mais estúpido que isso possa parecer. É como se qualquer contacto comigo há volta destes dias fosse perigoso, tal doença contagiosa. E eu que estava convencida que este ano me tinha safado com uma simples gripe.

Não quero obviamente fazer de conta que tudo o que acontece no universo está relacionado comigo porque isso seria demasiado egocêntrico até para mim, mas a proximidade da data dá-me arrepios.

Enfim. Daqui a umas horas, quando as pessoas normais acordarem, já posso telefonar e tentar saber se há mais algum desenvolvimento, se a Ana está bem, se sabem mais alguma coisa dos cães. Até lá estou só a tentar não vomitar e a pensar ‘como é que é possível?’

4 Comment

  1. Dee….a culpa, não é tua! pelo que li parece que a culpa foi mais do gajo do camião…agora só por ter sido perto do teu aniversário a culpa é tua? nhai ai ai, o que interessa é eles ficarem bem! se tu julgas isso, o que direi eu do meu aniversário á cinco anos?…pode ser estupido ou extremamente estupido mas tb me dá arrepios!

    beijinhos, espero que fiquem todos bem e encontrem a cadela 🙁

  2. Fico sem palavras. Há coincidências que enfim …

  3. Espero de todo o meu coração que as coisas se resolvam pelo melhor!
    Um grande beijinhos para ti e para a tua familia.

  4. São tristes coincidencias, mas acredita até eu já estou “quase” a convencer-me que alguém me lançou uma maldição (e eu que não acredito nessas coisas). Desejo as melhores ao teu irmão e a namorada, e desejo que a coitadinha da cadelinha apareça. CORAGEM!!

Deixe uma resposta