A primeira semana em casa

Assim que cheguei a casa respirei de alivio. Estava com uma dor de costas brutal porque amamentar no hospital implicava estar sentada numa cadeira sem braços, e por isso sem apoio para o cotovelo, ou na cama, sem apoio para nada. Ainda me emprestaram uma almofada daquelas de embrulhar à volta da barriga, mas era tão dificil faze-lo pegar na mama que acabei por nem conseguir usar muito. Isto porque às vezes só conseguia com ele sentado e outras vezes era preciso estar eu de pé a mexer-me para ele não voltar a adormecer.

Começámos então a ajustar-nos ao equipamento caseiro. foi logo preciso mudar a fralda, algo que o põe sempre a chorar descontroladamente porque não gosta nada de ser despido, resultando depois em soluços. Aproveitámos para optimizar a consola das fraldas para ter a certeza que estava tudo à mão e depois montámos o berço para ter sitio para ele dormir. Quando reparei era meia noite.

Ele dormiu razoavelmente bem nessa noite. Eu é que só dormi 2 periodos de 2 horas por causa dos intervalos para amamentar e mudar fraldas. Mas sinceramente, em comparação com o que dormi no hospital foi uma maravilha. Apesar disso reparei que estava a começar a ter alucinações. Estava a amamentar e a pensar que o Pedro tinha aparecido à porta do quarto e estava a falar comigo, e de repente acordei. É mesmo muito estranho e indicativo do nivel de cansaço. Mas não é surpresa nenhuma. Já se sabe que dormir agora é uma coisa do passado.

Na manhã de sexta feira consegui tomar banho. Foi o meu grande achievement do dia. Depois fomos ao centro de saude para o Tiago fazer o teste do pezinho. A enfermeira perguntou se eu queria sair enquanto o picavam porque me podia fazer impressão. Até compreendo mas felizmente não sou assim tão sensivel. Mais uma mudança de fralda e muitas visitas das diversas pessoas que trabalham no posto e voltámos para casa. O Tiago voltou a comer e finalmente consegui almoçar. A minha mãe esteve cá em casa a brincar com o netinho até serem horas de sair para a consulta com o pediatra. Saimos de lá com duas informações importantes: ele já está a ganhar peso outra vez e não tenho que o acordar para mamar antes de 4 horas, ao contrário do que me tentaram convencer no hospital. Menos uma preocupação.

Ao fim do dia tivemos uma série de visitas, algo que continuou durante os dias seguintes. É compreensivel mas tornou estes dias ainda mais cansativos porque não deu para descansar nem cinco minutos durante o dia.

Para piorar as coisas apareceu trabalho para fazer. Nada de muito complicado mas ainda estive ao computador uns minutinhos e depois tive de começar a fazer um boneco porque chegou uma encomenda. Felizmente fazer bonecos não é contra indicado porque limito-me a estar no sofá a coser. É só levemente cansativo porque requer alguma concentração para não fazer asneira.

No sábado de manhã estive novamente a arrumar coisas. As visitas trazem prendas e fica a casa cheia de sacos que é preciso vazar, arrumar, separar o que é para deitar fora, etc. Como ainda me doia a cicatriz e me custava baixar para apanhar coisas do chão, não foi fácil.

De tarde fui ao SAP tirar os agrafes. tinha feito reacção alergica ao metal e estava tudo um bocado inflamado, por isso é que estava a doer mais. Tentei ficar quietinha o resto do dia para ver se não estragava nada. Continuei a fazer o boneco que só consegui acabar à noite, graças às constantes interrupções que apesar de tudo já se estão a tornar rotina.

As minhas avós e os meus tios de Palmela vieram ver o Tiago por volta das oito.

A noite de sábado para domingo foi complicada já que o Tiago esteve a chorar a noite toda com cólicas. Tentámos as massagens todas e as posições todas e nada parecia ajudar. Calava-se um bocadinho, parecia acalmar e cinco minutos depois voltava tudo ao mesmo. Só acabou por dormir um bocadinho deitado no peito do pai mas mesmo assim continuava a contorcer-se de vez em quando.

Quando finalmente adormeceu por volta das seis e meia da manhã, consegui ainda dormir um bocadinho mas pouco tempo depois foi necessário mudar outra fralda, por isso não durou muito.

De tarde fomos a casa dos meus sogros porque era o aniversário do meu sogro. Estava lá grande parte da familia e mantiveram o Tiago ocupado durante uma horinha. A minha sogra ensinou-me a técnica do cotonete para ajudar a libertar os gases e que tenciono usar da proxima vez que for necessário. Não há garantias que funcione mas quantas mais armas melhor.

Na segunda feira tive de enviar uma encomenda e acabar mais umas coisinhas de trabalho que não podiam ficar penduradas e montámos finalmente a cama de grades.

Ontem fomos novamente ao pediatra para pesar o Tiago. parece que já ganhou mais algum peso mas ainda não voltou ao peso inicial. Eu também já perdi nove quilos mas suponho que agora devo ficar por aqui.

Também acabei de arrumar o quarto do Tiago, finalmente, com o nome dele na porta e tudo. Afinal a porta é mesmo dele: provavelmente não a tinhamos ainda se não fosse o Tiago.

Os gatos andam muito curiosos com o novo membro da familia e tentam constantemente saltar para o berço para o ir cheirar. Isto implica que grande parte do tempo estam fechados na cozinha para não termos de andar a enxotá-los o tempo todo. O House, que estava finalmente a ficar domesticado, já anda todo desconfiado outra vez, apesar de ser o único que ainda não fez qualquer tentativa de se aproximar do berço.

Hoje de manhã tive que ir ao correio enviar mais uma encomenda e ir à farmácia. Como o Pedro teve de ir para Lisboa a uma consulta e tratar de burocracias, a minha mãe fez o favor de vir cá fazer babysitting enquanto eu saía.

A notícia do dia é que caiu finalmente o cordão umbilical. Comprei o pó cicatrizante que o pediatra recomendou mas agora estou um bocado em duvida sobre se devo usar ou não porque aquilo diz especificamente para não usar em recem nascidos. É um bocado estranho.

Entretanto ele está outra vez com umas dorzitas de barriga por isso está na hora de ir fazer mais uma massagem e depois ver se consigo comer qualquer coisa.

3 Comment

  1. Olá

    Fui mãe à 6 anos atrás e novamente à 4 meses. Não te vou maçar muito. Do meu primeiro filho ensinaram-me no hospital a utilizar o termometro para o combate às cólicas. Ou seja introduzir a pontinha do termometro e fazer movimento circulares, se possível ao mesmo tempo que se aperta ligeiramente a barriguita. Aconselharam-me também a dar o Aero-Om ( no Porto é muito usado)… na altura pensava eu que era mais um descança pais… molhava a chupeta, aquilo até é docinho e o bebé parava de chorar… por segundos claro. Agora disseram-me que não é assim, com uma colher temos que dar entre 5 a 10 gotas… ou seja seguir à risca o folheto do produto. E não é que resulta mesmo! Do Gonçalo dei peito até ao 4 meses e tudo o que nós comemos passa para o leite. Do Guilherme não pude dar peito e portanto o leite que a pediatra me aconselhou, também ajuda a eliminar as colicas.
    De qualquer maneira existe uma site onde eu recorro sempre que tenho duvidas, além de que o Guilherme nasceu com o pé boto e portanto toda a informação que conseguir é pouca. Se quiseres lá ir, aquilo está dividido por temas: http://bebes.clix.pt/.

    Muitas felicidades, têm de facto um bebé lindo.

  2. Parabéns, Dee! O baby é lindo e espero que tenhas vindo a recuperar bem.

    Ainda não passei por uma experiência assim, mas todas dizem ser absolutamente maravilhosa e única.

    Muitos beijinhos. 🙂

  3. Bem, o grande problema das cólicas…
    Dee, se aceitas uma sugestão, em vez do cotonete podes tentar o tubinho do microlax. Basta cortar o tubinho e pô-lo no rabinho do Tiago; como tem uma abertura, por vezes não só sai o gás que tanto incomoda o bebé mas também algum cocó líquido o que ajuda imenso. Eu fiz isso com os meus dois filhos e não sei o que teria sido sem essa ajuda uma vez que tentei de tudo e as cólicas não passavam. Como foi um médico que me recomendou, não hesitei.
    Fica bem e obrigada por ires dando notícias!!!Bjs

Deixar uma resposta