O rastreio auditivo

No sábado levámos novamente o Tiago a pessear ao parque. Ele dormiu o tempo todo, como de costume. Tal como grande parte dos bebés, desde que esteja em movimento dorme profundamente. Felizmente ainda não foi preciso levá-lo a passear de carro para se acalmar, mas se alguma vez for necessário já sabemos que funciona.

O mais giro é que agora há qualquer coisa de novo todos os dias. No sábado calçou os seus primeiros sapatos. Fui experimentar só por brincadeira e já serviam perfeitamente. É incrivel a velocidade a que ele cresce. Isso nota-se principalmente pelo facto de ser preciso alargar o cinto de segurança da cadeirinha cada vez que temos de sair com ele.

Comprámos uma espreguiçadeira para o Tiago que tem dado imenso jeito. De dia já pode ficar sentado, virado para nós, o que permite maior interação connosco e com o meio ambiente. E como a cadeira tem uma barra para pendurar brinquedos também serve de estimulo visual. De noite, posso levá-lo para a sala e deitá-lo ao lado do sofá. Como aquilo é mais baixo do que o berço já não preciso de me levantar do sofá cada vez que ele resmunga. Basta esticar uma mão e abanar a espreguiçadeira ou segurar-lhe na mão para o acalmar. Acabo por conseguir descansar um bocadinho mais.

A grande diferença é que não tenho lido muito ultimamente. Acabaram-se os livros que queria mesmo ler e ainda não consegui comprar mais. Tenho uma série deles que ainda não li mas nenhum é no tom certo para o meu mood actual. Em substituição, e porque de noite também nunca estava acordada o suficiente para ler, comecei a ir para a sala ver séries. O meu sogro emprestou os DVDs do CSI NY e the outras série chamada The Closer e tenho andado a ver também o Grey’s Anatomy, a que não achei grande piada inicialmente mas que na segunda série melhora um bocadinho. Assim não preciso de ter muita atenção nem estar muito acordada e ajuda a distrair e não dou tanto pelo tempo a passar. Dá para amamentar e esperar que o Tiago adormeça antes de o tentar enfiar na cama outra vez. Já deu para perceber que ele acaba por fazer intervalos maiores entre refeições se estiver mesmo a dormir quando o deito e já consigo dormir umas 3 horas de seguida, nas noites boas.

No domingo vi o filme Little Miss Sunshine de que gostei imenso. Tem bons actores e uma série de personagens com problemas desde dependência de drogas a tentativa de suicido mas consegue ser um filme bastante leve e agradável de ver em vez do dramalhão que seria de esperar. Pelo menos surpreende por isso. E também mostra de uma forma que não deixa dúvidas o horror que são aqueles concursos de beleza para crianças. As miúdas maquilhadas como adultos mas com as proporções de cara de criança parecem pessoas deformadas. Acho que meter crianças nestas coisas devia ser considerado abuso de menores.
Também no domingo o Tiago apoiou-se pela primeira vez nos antebraços com a cabeça levantada. Foi uma surpresa. Estava deitado de barriga para baixo na consola das fraldas para podermos abotoar a roupa nas costas e de repente lá estava ele, todo levantado. Foi para marcar as 6 semanas.

Também foi a primeira vez que o Tiago vomitou. Estava a mamar e de repente era leite em todas as direcções. E não era aquela quantidade moderada que é costume regurgitar ocasionalmente. Foi tudo o que tinha acabado de engolir – blargh! Fiquei encharcada, ele também, assim como o sofá, a almofada e possivelmente o resto do universo. E eu controlo sempre o tempo e não o deixo mamar mais de 20 minutos, por isso não compreendo bem o que lhe aconteceu.
Ontem o Tiago teve visita da tia Marta e da Joana que lhe ofereceu umas botinhas muito giras. Fartou-se de resmungar porque as cólicas estão cada vez mais agressivas. Depois de tentarmos sem resultado dois produtos diferentes vamos agora no terceiro – Colimil. Como é uma quantidade de liquido maior do que as gotinhas do Aero Om ou do Biogaia, o Pedro foi comprar uns biberons e a máquina para esterilizar, coisas que já estavam na lista há algum tempo mas que ainda não tinham sido necessários.

A infecção do olho direito também parece ter passado finalmente e agora ele já tem claramente lágrimas quando chora.

Hoje fomos com o Tiago à Cliniped para fazer rastreio de audição. Ele fez o primeiro rastreio no Hospital mas o ouvido direito não passou. Na altura pareceu que foi apenas porque ele estava a mexer a boca mas ficou a dúvida. E por qualquer razão que não compreendo, uma vez que o exame demora apenas um ou dois minutos, em vez de repetirem no dia seguinte para tirar as dúvidas marcaram simplesmente uma consulta de pedriatria para seguimento da questão, só que apenas para o final de Junho. Achei completamente absurdo um intervalo tão grande por isso resolvi marcar eu um exame numa clinica privada e tirar as dúvidas de uma vez por todas.

A marcação era para as duas e meia mas só mais de meia hora depois é que fomos atendidos. Como tinha feito as contas para o Tiago estar a dormir às duas e meia, quando finalmente fomos atendidos ele já estava a acordar. O médico foi muito simpático e paciente mas foi preciso por o Tiago a mamar para se conseguir fazer o exame. Mas pronto, passou em ambos os ouvidos e parece que não há de facto problemas com a audição dele, o que é menos uma preocupação.

Aquilo que não gostei nada foi da sala de espera da clínica. É um barulho insuportável, mesmo com a sala quase vazia. Aquilo faz imenso eco e as recepcionistas falam super alto. A ironia é que colocaram na parede um cartaz a pedir silencio. Considerando que levámos o Tiago para uma consulta especifica em que ele precisava de estar a dormir para ficar quieto o suficiente, aquilo não ajudou nada. E só quando era já a nossa vez é que se lembraram que nos deviam levar para um gabinete vazio, que acabou por não acontecer porque já estava na hora. Fiquei com um bocado de má impressão daquilo.

Quando saímos da clínica o Pedro queria ir fazer umas compras por isso fomos a casa buscar as rodas para a cadeirinha. Só que enquanto o Pedro subiu foi preciso mudar a fralda ao Tiago. Como sou muito inteligente resolvi mudar-lhe a fralda no carro. É claro que ele conseguiu regar tudo, incluindo eu, apesar da fralda de pano e da base de plástico que tinha por baixo. O gajo consegue sempre levantar as pernas e afastar a fralda mesmo naquele momento em que estou a olhar para o lado e o banco do carro é demasiado inclinado para este tipo de actividades. Acabei por desistir e ir antes para casa mudar de roupa.

2 Comment

  1. Já era leitora assídua do seu blog, mas confesso que desde que o fedelho nasceu ainda ficou mais engraçado. Pensei que a partir de então se tornasse daqueles blogs lamenchas onde se vê bébés por todo lado e onde tudo é perfeito, afinal é tudo uma aventura. Parabéns por tudo!

  2. Acho que quem diz que é tudo perfeito quando tem um bebé ou tem alguém a tratar dele ou está a mentir descaradamente. A vida não passa a ser perfeita porque se tem um filho. Passa sim a ter mais desafios, especialmente à nossa paciencia. É claro que um sorriso bem colocado às 3 da manhã fazem-nos perdoar as duas horas de gritos que acabámos de sofrer, mas não deixa de ser complicado, especialmente para uma pessoa como eu que acha que o mundo vai acabar se não consegue dormir 8 horas por dia. Há dois meses que o mundo esta para acabar. Até nestas coisas há atrasos inexplicáveis.

Deixar uma resposta