Será que vamos finalmente começar a dormir à noite?

O Tiago começou finalmente a passar mais tempo acordado durante o dia e a dormir de noite, por vezes cinco horas de seguida. Não quer dizer que seja sempre ou que eu durma tantas horas como ele, porque às vezes é preciso deixá-lo dormir uma hora ao colo antes de o meter na cama para ter a certeza que ele não acorda outra vez, mas já anda um bocadinho melhor. Infelizmente, dormir 4 horas em vez de 2 não é o sufifiente para deixar de andar cansada durante o dia. Acho que ainda vai demorar muito tempo até chegar ao ponto em que me deixariam conduzir maquinaria pesada 🙂

O facto do Tiago dormir mais de noite quer dizer que durante o dia preciso de lhe dar muito mais atenção o que me deixa cada vez menos tempo livre. Tenho de lhe ler, cantar, po-lo a fazer pequenos exercícios, etc. Por exemplo, estou a ler-lhe o livro Wee Free Men do Terry Pratchett, cuja maior dificuldade é fazer as vozes dos personagens com sotaque escocês, mas que até é divertido.

Mas ele já está muito comunicativo. Já se farta de sorrir, reconhece a nossa cara e também já começa a ligar aos bonecos que tem pendurados por cima na cama ou na cadeirinha. Agora falta desenvolver a parte fisica para começar a mexer nas coisas, o que deve acontecer no próximo mês, com o devido desconto para as 3 semanas que ele tem a menos por ter nascido às 37. Mas como em tudo o resto se tem estado a desenvolver dentro do prazo previsto penso que não há grande razão para se atrasar nesta parte.

Nos bocadinhos que vou tendo livres, quando ele adormece finalmente, tenho feito colares, algo que me dá gozo e que não requer muito tempo ou energia. Mas mesmo assim há dias em que não consigo acabar um único. E há medida que o Tiago vai passando mais tempo acordado vai-se tornando cada vez mais dificil fazer seja o que for. Uma coisa tão simples como escrever o diário requer grande empenho e paciencia porque tem de ser feito aos bocadinhos.

É claro que fazer um colar é uma coisa e fotografá-lo tratar as imagens e criar um produto na loja é outra que requer muito mais tempo e paciencia. Só hoje é que consegui finalmente inserir uns 6 novos produtos na loja. Agora sabe-se lá quando vou conseguir voltar a fazer o mesmo. O facto do mac perder a rede cada vez que entra em power save e só a voltar a apanhar se fizer restart também não ajuda. Isto porque comecei a usar mais o mac já que o PC está enfiado no nosso escritório minusculo e não é fácil ir para lá com o Tiago um dia inteiro. Usar o protátil é muito mais prático, ou seria se não fosse o já mencionado problema de rede.

Depois de almoço consegui sair um bocadinho e ir à retrosaria comprar alguns dos materiais que precisava para terminar uns colares. Já custa andar com o Tiago ao colo porque não tenho feito muito exercicio e ele já pesa quase cinco quilos. Ainda por cima paraq ir a algum lado a pé a partir de casa é sempre a subir, o que também não ajuda. Para me ajudar a por em forma, já que ir ao ginásio é impossivel porque não tenho onde deixar o Tiago, investimos numa passadeira. É um monstro que nos vai ocupar metade da sala e eu sempre odiei fazer exercício, mas de tudo a passadeira é o que me irrita menos por isso espero usá-la. Pelo menos estou ao pé do Tiago e posso parar se for necessário. Aliás, duvido que consiga fazer um dos programas do principio ao fim, mas se conseguir correr cinco minutos de vez em quando já não é mau. Os meus pulmões também não vão aguentar muito mais do que isso de inicio.

Ando também com imensas saudades de fazer musica mas isso é que me parece estupidamente ambicioso neste momento. Não faço a minima ideia quando é que vou conseguir ter disponibilidade fisica ou mental para voltar a sentar-me ao piano mais de dois minutos.

É por pensar nestas coisas que de vez em quando ainda me parece estranho o facto de agora ter um bebé. Ás vezes olho para o Tiago e não acredito. E de vez em quando lembro-me daquela primeira sensação que tive quando vim para casa com ele que é, não faço ideia o que estou a fazer, nem acredito que me deixaram tarze-lo. Mas a verdade é que desde que se queria aprende-se depressa e hoje em dia já nem tenho de pensar muito e já percebo mais ou menos o que se passa com ele quando chora. Excepto às duas da manhã, quando estou a morrer de sono e dava tudo para ele adormecer finalmente.

Acho que o que é estranho em ter um novo membro da familia de repente é que não me sinto muito diferente. Sempre tive aquela ideia que as pessoas mudam depois de ter filhos. Eu acho que o que muda é a forma como ocupamos o tempo. O resto parece continuar na mesma. E a minha luta actual é apenas conseguir continuar a fazer algumas das coisas de que gosto e que me definem sem sentir que estou a ser negligente em relação ao Tiago. Quero dar-lhe o máximo de atenção possivel mas quero também continuar a ser eu e a fazer outras coisas para além de amamentar e mudar fraldas. Mas espero que desde que não seja muito exigente no que diz respeito ao tempo que pretendo ter livre para mim não terei de abdicar de tudo.

Aproveitei o tempo que o Tiago esteve acordado durante a tarde para o deitar no tapete de actividades para ele fazer algum exercício, nomeadamente levantar a cabeça quando deitado de barriga para baixo. E depois li-lhe mais um capitulo do livro até chegarem os meus pais que vieram para uma curta visita. Depois o Tiago adormeceu e consegui trabalhar mais um bocadinho.

Agora estou à espera do Pedro que só conseguiu sair do escritório às oito da noite.

4 Comment

  1. Se o Tiago for como a minha sobrinha Maria então ele só vai dormir noites completas a partir do ano e meio, mas nem todos os bebés são iguais, pode ser que vocês tenham sorte nesse aspecto. Ela agora tem 1 ano e 9 meses e só quer vir para o meu colo para eu lhe pôr a musica do Dartacão no Youtube. A melhor notícia é que o irmão/irmã dela nasce daqui a 8 meses. Como tio babado não posso deixar de colocar uma foto dela aqui http://golan.no.sapo.pt/maria03.JPG esta foi tirada quando ela tinha cerca de 4 meses.

  2. Gosto muito do seu blog, da forma como escreve e partilha os momentos. Sou fã do Tiago desde que andava na sua barriga, mas tenho de confessar: nunca tive um instinto maternal muito acentuado e ponho-me a pensar em todas as coisas que terei de deixar para segundo plano e ainda me apetece menos. O certo é que também tenho medo de um dia me arrepender de não ter vivido estas experiências que acabam por ser bom recordar, entretanto, vou vivendo a vossa história enquanto tento decidir-me.

  3. Olá Dee,
    Finalmente vou escrever-lhe pela primeira vez. Comecei a seguir o seu diário desde que fiz uma pesquisa na net por “semanas de gravidez”, estava eu com umas singelas 10 semanas… acho eu. Foi impossível não deixar de ler, tanto os posts recentes, onde a Dee estava na altura com 30 semanas do Tiago, como senti curiosidade de ler mais para trás.
    A forma acessível como escreve e o desenrolar de uma vida, com a qual tantas vezes me identifiquei, foram motivos suficientes para colocar o “Dee’s Life” nos meus favoritos e de vez em quando ir espreitar.
    Posso assegurar-lhe que um dos momentos altos e que me levou às lágrimas de tanto rir foi nos posts sobre o tabaco! A sua ironia e sinceridade acutilantes e, para mim, deliciosas fizeram com que até o meu marido ficasse interessado em ler mais da sua história. Para não falar na questão dos gatos… nós só temos um e ainda não sabemos como vai ser cá em casa.
    Por isso quero dar-lhe, finalmente, os parabéns primeiro por toda a coragem pelas vivências do passado, depois pelo nascimento do Tiago e por fim pela sua maneira de pensar e viver a vida. Não tenho dúvidas que é uma mãe a 500% numa escala de 100 :)))
    E, nós, inspirados pelo diário da Dee, resolvemos fazer também um pequenito blog principalmente para familiares e amigos que não estão tão perto, nos poderem acompanhar nesta nossa nova aventura… e tem feito muito sucesso :)))
    Muitos beijinhos de felicidades para todos aí por casa (a contar com os felinos, pois claro)
    Rita e Sérgio

  4. Realmente tens razão, acho que não mudamos tanto assim como mães, o que muda sim é a nossa rotina e adaptação a ela. Entretanto, passados uns anitos as coisas começam a voltar a uma espécies de normalidade, em que já conseguimos fazer aos poucos o que gostamos mais, à medida que as crianças vão crescendo e tornando-se menos dependentes. Já agora, e não que isto possa interessar-te mas, estava eu a começar a apreciar alguma independência quando, há uma semana descobri que estou novamente grávida…oh well…
    Fica bem. Bjs

Deixar uma resposta