A ultima semana de Junho (resumo alargado)

Depois de um casamento na sexta e compras no fim de semana, tivemos o jantar de aniversário da minha mãe na segunda feira, dia 25. Estava lá a minha avó Luisa, que já não via desde que nasceu o Tiago e que está cada vez mais magra. Faz um bocado de impressão vê-la assim, já que sempre foi gordinha. A idade muda mesmo muito as pessoas.  Lá me deu a mantinha que fez para o Tiago, que é igual à que fez para mim quando nasci e de que sempre gostei porque era muito fofinha e recebeu uns sorrisos do Tiago que são o suficiente para derreter qualquer um.

Durante o jantar a minha mãe recusou-se a largar o Tiago que acabou com diversos bocados de comida chinesa em cima, mas pronto, fazia anos por isso desculpa-se.

Durante o resto da semana andei a equilibrar pequenas actualizações da loja e organização dos materiais que chegaram entretanto com babysitting.O Tiago teve uns dias terriveis em que se recusava a mamar sem eu perceber porquê e chorava inconsolavelmente. Depois acabou por lhe passar e teve mais uns dias em que se fartou de dormir. O mai estranho nisso tudo é que espero que ele durma para poder fazer qualquer coisa mais para além de tomar conta dele mas depois fico com saudades. Nada como ser mãe para passar a viver cheia de contradições.

No sábado às seis e meia da manhã o Pedro levantou-se para mudar a fralda ao Tiago porque eu tinha acabado de voltar para a cama, e regressou rapidamente com a noticia que tinhamos àgua a escorrer pela parede da cozinha novamente. Levantei-me e fui acordar um canalizador. O tipo que veio da outra vez tinha o telefone desligado – aparentemente serviço de 24 horas não inclui sábados de manhã – por isso liguei para outros tipos. Acordei obviamente o homem e ainda por cima disse-me que só podia vir alguém por volta das nove e meia. Dois telefonemas depois e os gajos só apareceram ao meio dia para nos dizer que não podiam fazer nada antes de segunda feira porque era preciso partir a parede, cortar fora o cano e substituir por outro. Lá tive que ir bater à porta dos vizinhos outra vez a pedir para não usarem a àgua da cozinha até segunda feira. Custa-me imenso ter que ir pedir favores aos mesmos tipos que passam o tempo a fazer barulho, às 6 da manhã a chinelar pela casa e a arrastar cadeiras, à meia noite a mesma coisa e ocasionalmente às 3 da manhã aos berros ao telefone, já para não falar no karaoke. Nem são pessoas antipáticas mas vivem 6 pessoas naquela casa e não parecem perceber a barulheira que fazem.

Estavamos tão desanimados com as noticias que fomos dar uma volta. Aproveitei para comprar aqueles items que não há ou que não nos lembramos de comprar no jumbo online e precisava de tinta para o cabelo mas não tinham a minha cor – é tipico: compro uma vez e na vez seguinte já não há.

Aproveitei o facto do Pedro estar em casa para fazer um colar e uns brincos e no domingo o Pedro ajudou-me finalmente a por o pagamento por paypal a funcionar.

Ontem vieram então os canalizadores. Desmontaram o exaustor e o armário, partiram a parede até ao tecto, cortaram o cano, substituiram por um novo e iam por pladur como isolamento do cano mas acharam que era muito grosso e perguntaram se eu preferia antes umas placas de amianto que são mais isolantes e mais finas. Apesar de ter a sensação que amianto é daqueles materiais potencialmente perigosos (por inalação?) aquilo é para estar emparedado por isso não deve fazer mal e disse que sim, se achavam que era a melhor solução. O problema é que não tinham o material com eles por isso ficaram de voltar mais tarde. É claro que às 6 da tarde recebi um telefonema a dizer que só vinham no dia seguinte. Aparentemente ficaram presos no transito a voltar de Lisboa e o carro sobreaqueceu. Ah, e partiram-me a grelha do fogão…

Hoje de manhã lá apareceram, já perto das onze. Despacharam-se depressa e apresentaram a conta, para cima de 200 euros que incluia um preço por hora para um deles e um preço diferente para outro (o mais caro era o ‘chefe’ que sinceramnete não vi fazer grande coisa, mas ok). Acho bem que isto fique resolvido porque começamos a ter uma séria vontade de mudar de casa.

Entretanto estou à espera de uma encomenda que vem por UPS e era suposto chegar hoje e até agora nada. Geralmente entregam de manhã mas começo a temer que ainda tenha de esperar mais um dia. O que é uma seca porque queria sair para pagar a garagem e meter umas coisas no correio e assim não posso.

Por outro lado, ontem chegou a bateria do Pedro. Aliás, chegaram duas, graças a uma confusão com a encomenda, mas o coitado do tipo da UPS teve de levar um dos caixotes de volta. Se calhar é por isso que hoje não aparece – é vingança por ontem.

Anyways, o Pedro esteve a montar aquilo  quando chegou à noite e, apesar de não ter propriamente ‘som’ ainda faz algum barulho ao tocar. A mim não incomoda mas acordou o Tiago uma série de vezes. Mas tenho que admitir que é muito cool ter uma bateria em casa 🙂 Era o que faltava para completar a lista de instrumentos que não sabemos tocar assim muito bem mas que dão imenso gozo. Há quem compre um porsche, há quem compre uma casa com piscina em Cascais. Nós somos mais felizes assim. E o que o Tiago se vai divertir daqui a uns tempos!

Deixe uma resposta