Ao fim de sete meses

O Tiago já chegou aos sete meses e está feliz e relativamente saudável (tirando as ocasionais constipações). Não podia esperar mais.

Ontem de manhã saimos para tomar o pequeno almoço e dar uma volta com o Tiago e depois passámos na Imaginarium para procurar uns brinquedos. Já tinhamos procurado noutras lojas, tipo Toys’r’us, sem encontrar nada de jeito e realmente nem valia a pena ir a outro sítio porque a Imaginarium tinha exactamente aquilo que queriamos – conjuntos de cubos de enponja para 6 meses e conjuntos de copinhos de encaixar. São aqueles brinquedos didácticos simples e intemporais que aparentemente passaram de moda nas outras lojas de brinquedos onde só se encontra merchandising do Noddy e companhia. E ainda bem que há lojas assim porque senão estavamos lixados, já que o que nos interessa é que o Tiago tenha objectos que lhe ensinem competências importantes nesta fase como empilhar objectos ou perceber as diferenças de tamanhos, etc.

O Tiago parece ter gostado dos brinquedos novos e já consegue tirar os copinhos de dentro dos copos maiores, o que é muito bom para um dia. O raio do miúdo é uma verdadeira esponja. Aprende num instante e a partir daí é como se fosse algo que sempre tivesse feito.

Aquilo que está a demorar mais tempo é conseguir gatinhar mas já bate palmas com as mãos completamente abertas e isso passou a ser o seu entretenimento favorito.

As pessoas estão sempre a perguntar-me se ele é um miúdo muito dificil e sinceramente acho que não. Mas depois percebo o que querem dizer com isso e desse ponto de vista até é – em vez de ser um daqueles bebés que só come e dorme o Tiago exige muita atenção, não gosta de ficar sozinho nem no parque por cinco minutos que seja o que implica andar com ele ao colo para coisas como preparar o meu pequeno almoço, meter roupa na máquina, etc, e está constantemente a querer mamar, não por ter fome mas porque nunca se adaptou à chupeta e por isso precisa de chuchar nalguma coisa. Visto assim, não posso dizer que seja fácil. Aliás, eu raramente consigo fazer seja o que for enquanto ele está acordado, que é praticamente todo o dia. Isso é outra das coisas que me dá vontade de rir. Li já não sei onde – num dos inumeros livros ou revistas sobre bebés – que aos 6 meses os bebés dormem 3 sestas durante o dia. Se eu conseguir que ele durma duas fico muito feliz. Epor vezes tenho de ficar mais de uma hora a entretê-lo e tentar acalmá-lo antes de ele começar sequer a pensar em adormecer. E depois tenho entre 2 minutos a 2 horas para comer, tomar banho, por a loiça na máquina ou tentar avançar com alguma coisa de trabalho antes de começar tudo de novo.

É mesmo assim. Tratar do Tiago é o meu primeiro emprego neste momento – não remunerado, claro, mas se eu não o fizer tenho de pagar a alguém para o fazer por mim e assim pelo menos sei que ele é bem tratadinho. O segundo emprego é fazer o meu artesanato, lidar com encomendas e os clientes de design que ainda tenho, passar facturas, etc, e o terceiro é tentar manter a casa minimamente usável e sem acumular muita porcaria, especialmente agora que a nossa Augusta está de baixa durante nem sei quanto mais tempo, a recuperar de cirurgia. Tudo isto em 2 a 3 horas por dia durante as sestas do Tiago e à noite depois de ele ir finalmente dormir, que muitas vezes é só depois das dez.

Não há dúvida que tem sido uma mudança muito grande, especialmente em termos da energia necessária para aguentar um dia, mas se não fosse o facto de me preocupar com a falta do dinheiro e achar que não ganho o suficiente com este sistema, até era capaz de ser feliz. Cansada, mas feliz.

Também  acho que ando um pouco mais sociável. Na verdade não tenho grandes hipoteses porque toda a gente quer ver o Tiago, sorrir para ele e até mexer-lhe pelo que tenho de lidar com muito mais pessoas (qua ainda por cima não conheço) do que antes.

Mas andar com um bebé ao colo tem consequencias interessantes. Como as pessoas lhe acham piada e ele sorri para toda a gente, são todos muito mais simpáticos, nas lojas por exemplo, e lembram-se de mim mais tarde. Acabo por ficar a conhecer os senhores do café, as senhoras dos correios, etc.

Mas para mim o que é interessante é que isso mudou a minha atitude. COmo já não espero tanta hostilidade por parte das pessoas com quem vou ter que lidar durante o dia também já saio de casa muito mais descontraidamente e sem aquela necessidade de armadura que tinha antes.  O que é muito bom porque corria o risco de me transformar numa daquelas pessoas amargas e sempre com os cantos da boca virados para baixo (como a minha vizinha de baixo) e não queria que o Tiago tivesse de crescer com uma mãe assim.

É bom saber que o esforço de criar um ser humano pode ter o efeito inesperado de nos transformar em pessoas melhores.

7 Comment

  1. Fiquei muito contente com este post. Já te acompanho há muito tempo, umas vezes comentando, outras em silêncio e acho que a tua maneira de ver as coisas e de pensar tem vindo a mudar bastante. Acho que neste momento és uma mulher realizada. Estarei enganada?
    Bjs

  2. Não sei se me sinto realizada. Sinto que estou a começar uma série de coisas com um pouco mais de esperança para o futuro do que seria costume. Acho que estou um pouco menos zangada com o mundo, e apesar de nunca conseguir largar o cinismo que tenho vindo a cultivar ao longo dos anos, tenho andado a responsabilizar-me mais e a obrigar-me a fazer coisas que me assustam quando acho que vale a pena. Mas também há uma série de coisas boas de que tive de abdicar, pelo menos temporariamente, por falta de tempo e espaço mental. Mas aceito que tem de ser assim. Se o motivo dos sacrificios for suficientemente importante acaba por valer a pena.

    Nunca pensei que conseguisse ser uma mão dedicada mas parece que o mecanismo está muito bem instalado. De tal forma que nunca me ocorreu, depois de fazer um esforço tão grande para ter boas notas, tirar um curso superior e ter uma série de empregos diferentes, de designer a professora, que fosse acabar por ficar em casa a tomar conta de um bebé. Há dias em que me apetece saltar da janela mas no geral não é tão mau como pensava 🙂

  3. No ikea também encontras muitos brinquedos mais didácticos. Têm muitos em madeira e também têm desses copinhos para encaixar 🙂 E é muito mais barato!

  4. Que bom Dee! Também te vou lendo à uns tempos valentes e parece incrivel como é que 7 meses já voaram!! De tal forma que a minha pequenita já nasceu entretanto e já vai com quase 3 meses!! Fico contente por saber que te sentes mais leve… e que o papel de “mãe”, com o qual tiveste uma certa estranheza em te habituar (identifiquei-me totalmente com o teu sentimento) agora está a fazer com que te tornes uma pessoa mais positiva e muito de bem com a vida. E deixa lá… isso do dinheiro é um mal comum, o que interessa mesmo é o que temos hoje… que fortuna nenhuma paga 😉
    Um grande beijinho para ti e para o teu miúdo

  5. Andando à procura de materiais escolares para poder ajudar um pouco o meu filho mais velho com a Matemática, encontrei este site que tem jogos didácticos que podes começar a utilizar em breve com o teu filhote.

    http://www.casinhadapeno.pt/

  6. o tempo voa de facto…amei as tuas palavras nesta entrada…a tua jornada continua, espero que cada vez melhor!

    beijos para todos

  7. Olá
    Já há muito tempo que “acompanho” a sua vida, pois sempre que fazia uma busca no google de algo relacionado com casa, ou casamento.. o seu site aparecia sempre.
    Engraçado que agora, em outra etapa da minha vida, também fui dar com o seu site, isto porque também fui mãe de um menino, que nasceu no dia 17 de Março, o que faz com que ache engraçado acompanhar a evolução do seu Tiago, até como comparação para perceber se está tudo bem com o meu Gonçalo.
    Este post deixou-me, de vez, com vontade de comentar pois as suas palavras aplicam-se a 95% do que eu sinto, pois também trabalho, em parte, em casa, e também passo por todas as dificuldades que a Dee passa com o Tiago.. tirando que o meu come muito bem (a maior parte das vezes) e já gatinha desde os 5 meses e meio.. tirando isso os dentes apareceram duas semanas depois dos do Tiago e sentou-se sózinho 1 semana depois. O Gonçalo tem o mesmo tamanho e o mesmo peso +- que o Tiago e já só se quer pôr em pé agarrado Às coisas.. o que passou a ser mais uma dor de cabeça pois só o seguro na cadeira de comer e no berço (onde fica agarado às grades a gritar para o tirar de lá).
    Ou seja.. o trabalho fica muitas vezes por fazer, hoje nem consegui tomar banho, pelo que nem fui ao escritório porque ser mãe a tempo inteiro não é fácil, e cada vez dou mais valor à minha que nunca trabalhou e ficou em casa com 2 filhos, e eu sempre achei que era fácil.
    Parabéns e continuação de bom trabalho.
    Peço desculpa pelo testamento mas há muito que tinha vontade de partilhar estas coincidências.
    Vou continuar a acompanhar a evolução do Tiago. 🙂
    1 bjinho

Deixe uma resposta