Adoro fumadores irritados

Os posts anti-fumadores dão sempre que falar e mesmo ao fim de meses e até anos continuam a dar origem a comentários, geralmente furiosos. O que é optimo porque se os fumadores me irritam ao ponto de escrever um post sobre o assunto, não há nada que me delicie mais do que saber que consegui, de alguma forma, irritá-los de volta. Pelo menos não fui só eu que fui incomodada. Sei que é mesquinho mas a vingança é doce 🙂

Achei que este comentário era demasiado divertido para ficar enterrado junto com os outros por isso vou colocá-lo aqui devidamente comentado. É referente a este post.

É de um benzoca qualquer que assina Cunha Leão, o que só de si já diz muito da pessoa e da sua auto-importancia (senão assinava simplesmente ‘Manel’) e diz o seguinte:

“Nunca li uma opinião tão estúpida como esta…!!!”

Tanto quanto sei uma opinião não tem QI próprio pelo que não pode ser estúpida. A pessoa que expressa essa opinião é que o pode ser. É isso que queria dizer? Que EU sou estúpida? Então deveria ganhar coragem e dizer aquilo que pensa em vez de o tentar disfarçar com afirmações sem sentido.

De qualquer das formas o comentário abre com hostilidades, o que quer dizer que o senhor se sentiu pessoalmente insultado pelo que escrevi. Não achou piada ao facto de alguém considerar que deveria sufocar no seu próprio fumo em vez de andar por aí a causar potencial cancro a todas as pessoas com quem se cruza na rua ou que têm o azar de ir comer no mesmo restaurante que ele e falhou-lhe completamente a clareza necessária para compreender que post é obviamente um desabafo resultante da frustração com a falta de consideração constante de um grupo de pessoas, os fumadores, em relação à restante população mundial e ao meio ambiente. Só sabem falar ‘dos seus direitos’ e estão-se a cagar para os direitos dos outros. Por isso não me parece que tenham o direito de ficar ofendidos.

Continuando:

“Um caso isolado não dita a “regra”…!!!”

Um caso isolado? Só porque dou um exemplo em vez de listar 500 não quer dizer que me esteja a referir apenas a um caso isolado. Digamos que foi a gota final que fez transbordar o copo.

E agora uma das frases mais divertidas do último século:

“Os fumadores, na generalidade, são pessoas educadas, civilisadas, e compreensivas,

É dificil parar de rir depois de ler isto. Os fumadores são o quê?

São pessoas que até podem não cuspir nem deitar papeis para o chão mas não têm problemas em enterrar o cigarro na areia ou atirá-lo pela janela de um carro em andamento. São pessos que poluem constantemente a atmosfera de restaurantes, elevadores e qualquer outro espaço onde tenham que permanecer mais de 15 minutos, são pessoas que até são capazes de perguntar se uma pessoa se importa que fumem e ficar muito ofendidos quando se responde que sim, nos importamos, são pessoas que partem logo para o insulto quando alguém diz que estão a incomodar e se pede para parerem de fumar, são pessoas que até dizem que não gostam de fumo enquanto estão a comer mas assim que acabam a refeição acendem o cigarro sem consideração pelos outros à sua volta. Isto não é suposição – vem de observação e experiencia de 30 anos, tanto minha como dos outros não-fumadores. Onde é que está a educação, o civismo e a compreensão exactamente?

Os fumadores são viciados em tabaco como podiam ser viciados em heroína – o mecanismo é o mesmo. E enquanto não assumirem que eram capazes de matar alguém que se meta entre eles e o seu próximo cigarro vão continuar com esta visão idealizada e falsa de si próprios.

“… mas não são “bruxos”, para adivinharem que estão a incomodar alguém.”

Regra número 1: Se há pessoas num raio de 20 metros, um fumador está a incomodar alguém. É tão simples como isto. Fazer de conta que não compreende isto é que é pura estupidez.

“Além disso, ditam as boas maneiras, e a educação, que “os incomodados retiram-se” … !!!”

Esta é sempre a mesma desculpa. Então eu não tenho tanto direito de andar no mundo, frequentar a praia, restaurantes, cafés e subir no elevador do meu prédio como qualquer outra pessoa? Acho que tem uma noção muito deturpada do que são boas maneiras. Boas maneiras seria preocupar-se com o bem estar dos outros e não os incomodar. É que estamos a falar de uma poluição que fica muito depois do infractor se ter ido embora. Como é que pode falar em boas maneiras dizendo que os incomodados é que têm de se calar e ir embora? Foi educado por algum nazi?

“Talvez a autora deste “blog” devesse ler um manual de boa educação, a ver se começa a ser suficientemente educada para conviver …!!!

Cunha Leão”

Este comentário então é fabuloso e altamente benzoca. E esse manual de boa educação foi escrito em que século? É que eu sou sempre extraordinariamente bem educada e simpática para toda a gente. Acho que está a confundir liberdade de expressão com boas maneiras. Posso escrever que me apetece matar todos os fumadores mas não o faço na realidade nem incentivo outros a fazê-lo. Uma pessoa equilibrada consegue verbalizar aquilo que a irrita e isso impede-a de agir de forma anti-social. Psicologicamente, aqueles que nunca dizem nada é que têm potencialmente mais tendencia para agarrar na caçadeira e ir resolver o assunto de forma sanguinária.

Agora isso não quer dizer que tenha de censurar esses pensamentos. Tal como os fumadores têm o seu querido direito de fumar eu tenho o direito de expressar o meu ódio, incómodo e visão para um mundo melhor sem macaquinhos convencidos que têm um ar cool porque têm o seu cigarrinho na mão. Suponho que seja um incómodo para si saber que há pessoas que não o acham o máximo por fumar mas eu não o obriguei a ler o meu diário. Porque é que fez uma coisa que o incomodou tanto? Já viu que quebrou a sua própria regra de ‘boas maneiras’ e em vez de se mudar esteve para aqui a escrever disparates?

Mas pronto. Ainda bem que o fez. Divertiu-me imenso.

Ah, e já agora – isto não é um blog.

13 Comment

  1. “Já viu que quebrou a sua própria regra de ‘boas maneiras’ e em vez de se mudar esteve para aqui a escrever disparates?”

    Ahahahah

    Realmente, ele há com cada personagem…
    Concordo que fumar é dos vícios mais irritantes à face da terra e só os fumadores parecem não aperceber-se disso.

  2. Não resisto! Tenho que dizer: Foi DIIVIINAL

  3. Aplaudo de pé. Ele nem sequer é benzoca, nem bem, nem sequer educado. Então quer dizer que sempre que acender um cigarro as outras pessoas é que têm que se afastar?!?! Hello? Essa é hilariante! 😀

    Olha, sou fumadora e não me sinto rigorosamente ofendida com o teu post e até defendo tudo o que tenha a ver com anti-fumo. Como sei que o tabaco incomoda os não fumadores, não imponho o fumo. Um exemplo: passo o dia inteiro no trabalho e não fumo um único cigarro. Trabalha-se melhor, o ar é mais limpo e não incomodo ninguém. Bom post! 🙂

  4. Bom, lá teria que vir um fumador comentar este post. Sou fumadora há cerca de 20 anos e concordo com tudo o que dizes. Somos nós que temos que ter consciência de que o nosso fumo é mais do que incomodativo: é letal. Por isso concordo com as restricções e com os “guetos” para fumadores em aeroportos, restaurantes e outros sitios públicos. Eu posso decidir como e quando me mato, mas os outros não têm culpa. E também acho que maior parte dos fumadores são autênticos animais sem respeito pelos outros. É que, afinal de contas, não custa mesmo nada manter o vício para nós próprios – há anos que o faço, é só seguir algumas regras simples: não fumo em sítios públicos,não fumo fora das secções de fumadores, não fumo em casa e mesmo assim já fumo demasiado! Quem se ofende com o tipo de post que escreves não tem noção da inconveniência do seu comportamento.

  5. Sou ex-fumadora (há bastante tempo) de tabaco e de heroína e garanto-te que não é a mesma coisa! É até bastante diferente, especialmente naquilo que tu afirmas, que é que se faz tudo por um cigarro. Não é verdade, faz-se quase tudo por heroína, por nicotina nem por isso. As consequências da dependência também são um bocadinho diferentes – há poucas pessoas a arrumar carros por cigarros…
    Foi uma comparação pouco feliz, mas enfim, há coisas piores!

  6. Oh Ines, não era preciso ser tão literal.
    Eu não sou parvinha e nunca pretendi comparar passo a passo as duas drogas. Se uma das drogas é legal e a outra não, é obvio que há diferenças relativamente à rapidez com que se tornam viciantes e destrutivas para o organismo. Mas a questão é que são ambas viciantes e os fumadores não encaram muitas vezes o seu vicio como tal (pelo menos até perceberem que não conseguem parar de fumar, o que só acontece quando se tenta).
    O ponto que me interessou passar aqui é a necessidade de assumir que são ambos comportamentos de dependencia de uma substancia que altera o comportamento social, apesar de o ser em escalas diferentes.

  7. não tem nada a ver, mas, não fazes uma lojinha destas? http://www.etsy.com/

  8. Como já tenho uma loja que me dá tanto trabalho e tenho tão pouco tempo para a conseguir actualizar, não me meti nisso. Realmente têm muitos utilizadores mas sai caro porque cobram por colocar cada item para além da percentagem da venda e na generalidade não posso dar-me a esse luxo.

  9. Senhora Dee… mais uma vez… tiro-lhe o chapéu :)))) LINDO!!!
    E o rais parta do governo que não teve “tomates” pra levar o raio da lei até ao fim!!! É um país “enloobyado” é o que é!

    E já agora, o garoto tá um fixolas!!!

  10. Os fumadores são educados? então a minha fac tá cheia disso, parecem chaminés, e depois temos um espaço para não fumadores com 1/3 do espaço que os fumadores podem frequentar (como se o fumo não passasse pra sala ao lado). Até podia dizer que não faz mal nenhum eles fumarem, mas a verdade é que faz porque temos que fumar passivamente quer queiramos quer não (pois, porque neste país deve de haver mais fumadores que dezempregados por metro quadrado). Mas fazer o quê não é :(? um muro tipo muro de berlim a separar uns dos outros?

  11. Tipico Portugues -.-

  12. Depois de anos a ser insultado de “fundamentalista” e a ser indirectamente prejudicado na minha carreira por não deixar que fumassem na minha área de trabalho (até que chegou uma lei a dar-me razão), até que enfim… até que enfim alguém tem a coragem de descrever os factos tais como eles são.
    O episódio do fumo na praia… quantas vezes tive de mudar a toalha para não passar a tarde a respirar fumo; quantas vezes mudo de passeio de manhã, quando vou apanhar o transporte, para não andar depois a tussir o resto do dia; quantas vezes… quantas vezes tanta coisa, só para evitar pessoas que acham que o fumo não incomoda e que chegam a passear de cigarro em riste e criança ao colo.
    A nova lei, pensei eu, permitir-me-ia fazer novamente algo que deixei de fazer por causa do fumo: sair à noite. Para meu espanto, apesar da lei ser bem clara, logo apareceram interpretações no mínimo obscenas da lei e regulamentações perfeitamente contrárias ao seu espírito. E continua-se a fumar em cafés, bares, discotecas. Ou seja, ainda não é desta que volto a sair à noite.
    Mas muita coisa melhorou. Principalmente nos restaurantes.

  13. isto e horrivel e os outros tambem acham o mesmo.
    Fico muito irritado quando as pessoas dizem que as ovelhas nao fumam, e nao e que fumam mesmo ?

Deixar uma resposta