O trepador

Apanhei hoje o Tiago a trepar para cima da minha cama. Até filmei para enviar ao Pedro. O miúdo está mesmo a desenvolver-se depressa. No sábado começou a aguentar-se em pé sem apoio e agora começou a trepar. E pelo meio aprendeu também a beber por uma palhinha o que ajudou a perceber finalmente como se bebe pela sippy-cup, que é suposto dar muito jeito porque não entorna. Pois, de facto não entorna, mas como o Tiago prefere deixar a água escorrer-lhe pelo queixo do que bebê-la, o resultado é molhado na mesma. O miúdo precisa de uma capa de chuva para beber líquidos.

Na sexta feira aproveitámos o bom tempo para ir ao parque de manhã e ele passou o tempo a usar o pai como apoio para se por de pé e depois levantava o tronco e ficava assente apenas nos seus pezinhos. Fez isto uma série de vezes de seguida e nos dias seguintes continuou o treino. Agora vamos ver quanto tempo demora até ao primeiro passo. Prevejo cerca de um mês, que até agora tem sido o ritmo para aprendizagens anteriores. Vamos ver.

E isto deve ter mesmo coincidido com um salto de crescimento porque durante toda a semana o Tiago andou a dormir 13 horas seguidas durante a noite mais a sesta. Agora já normalizou e começou a acordar outra vez ao fim de 11 horas o que espero que me permita voltar a instituir as duas sestas diárias.

Quanto à linguagem acho que tem vindo a progredir. Um dia destes estavamos a ver o livro dos frutos e o Tiago apontou para o desenho da banana, de dedinho espetado e disse algo muito parecido com ‘a banana’. é claro que podia ser ‘a bawawa’ ou ‘a bawana’. Não posso provar nada porque ele recusou-se a repetir e infelizmente não filmo todos os segundos da sua vida. E não consigo ser uma daquelas mães que tem a certeza que o filho disse ‘quero ir à rua’ quanto toda a gente ouve ‘wawigua’ ou algo semelhante.

O que consigo dizer com certeza é que ele diz ‘olá’, diz ‘mamã’, especialmente quando tem fome, e por vezes ‘mamã dá’. Hoje era capaz de jurar que disse ‘mama dá papa’ quando me viu com o prato na mão, mas mais uma vez acredito que foi completamente ao acaso porque ele é muito novo para começar a fazer frases e nós geralmente ouvimos o que queremos. Mas ‘mama dá’, é muito comum. E também começou a imitar expressões que uso muitas vezes como ‘então’ e ‘até já’.

De resto gosta muito dedesligar a luz da casa de banho quando vai lavar as mãos, saindo já da casa de banho de dedinho espetado. É tão giro 🙂

Deixe uma resposta