O desmame

O Tiago mamou durante um ano mas a quantidade foi decrescendo naturalmente à medida que começou a comer sólidos, indo substituindo o leitinho por carne, peixe, papa, etc. Só sobraram duas doses diárias de maminha, uma antes da sesta da tarde e outra à noite antes de dormir. Já há algum tempo que é mais por muma questão de conforto do que nutrição. Ajuda a acalmá-lo, adormece mais depressa e dorme mais tempo e melhor.

Só que acho que já chega e quero o meu corpo de volta. Por isso desde a segunda feira da semana passada que comecei a tentar desmamar o Tiago.

Mentira, já andava a tentar há mais tempo mas só na segunda feira passada é que consegui efectivamente retirar a mamada do dia, que era sempre antes da sesta. Devo dizer que tem sido complicado. O Tiag, que sempre foi complicado de adormecer, agora passa ainda mais tempo a chorar antes de desistir.

O ritual da sesta é sempre feito de maneira a acalmá-lo ao máximo e até é relativamente eficaz. Fecho as cortinas, deito-o ao colo, dou-lhe o ursinho e conto-lhe uma história numa voz suave. Também ponho a tocar um CD de lullabys que fica mesmo depois de eu sair do quarto. Quando ele está quase a adormecer ou percebo que o choro é de sobre-estrimulação e não vai parar, deito-o na cama. Ele rebola até ficar de lado ou de barriga para baixo, sempre agarrado ao ursinho. Mantenho-lhe a mão nas costas até se acalmar e depois saio do quarto desejando-lhe uma boa sesta. Até aqui tudo bem.

O problema é que assim que ele percebe que eu vou sair e não teve a sua dose de leitinho, começa a chorar e não se cala durante 20 minutos pelo menos. Já tentei voltar lá mas só faz pior, nalguns dias fui buscá-lo outra vez mas ele está mesmo a cair de sono e não serve de nada. Tenho mesmo que o deixar berrar a sua frustração até adormecer.

Há dias em que estar a ouvir aquele choro me causa um stress indescritível. Outros dias sento-me a fazer qualquer coisa e consigo quase ignorar (enquanto vou contando o tempo, claro). Enfim. Não está a ser um processo fácil.

Num dos livros que tenho sobre bebés sugerem retirar uma mamada a cada duas semanas. Parece-me pouco. À noite então vai ser muito complicado e vai implicar novamente muitas noites sem dormir. Provavelmente vou ter que decrescer primeiro para dia sim dia não ou começar a tentar dar-lhe leite por um copo para ver se ele se começa a render.

6 Comment

  1. porque é que não tentas dar um biberão antes de deitar? acho que eu e o meu mano tomamos leite de biberão ao deitar até aos 5 ou 6 e resultava connosco.

    (disclaimer: isto é um conselho de quem não percebe nada de bebés, nem tem nenhum 🙂 )

  2. O Tiago nunca se habituou a chucha ou a biberon. Limita-se a morder em vez de chuchar e se sai líquido engasga-se. Nós bem tentámos mas nunca pegou.

  3. Como não gosta do biberão, tenta dar-lhe o leite de outra forma: por copo. Sei que não é igual ao leite da mamã, mas pode ser que funcione… 🙂

  4. A minha filha também nunca teve chucha ou biberão até aos 13 meses, quando decidi fazer o mesmo que tu.
    A partir daí adaptou-se lindamente ao biberão (começou com 1 lata de leite em pó para adaptação e rapidamente passou para o leite do dia, nessa altura gordo). Ainda hoje continua a beber antes de dormir, à noite, com quase 3 anos!
    Experimenta – à falta de melhor e como a capacidade de sucção é diferente com a idade que o Tiago agora tem, pode ser que vá lá. A necessidade dele pode fazer milagres.
    Anyway, boa sorte!

  5. oi, tive a ler este blog, pode ser útil! beijinhos

    http://www.clubedospais.pt/forums.php?m=posts&q=1218&n=last#bottom

  6. Olá Dee! Estive a ler o teu post sobre o desmame e pensei que te podia contar como foi o desmame do Miguel, talvez te possa ajudar, apesar de todos os bebés serem diferentes e não reagirem da mesma maneira às mesmas situações. Tal como o Tiago, o Miguel nunca usou chucha nem biberon. Mamou em exclusivo até aos 6 meses e depois comecei a dar almoço, lanche e jantar em sólidos, mas mantive as mamadas da manhã, do deitar e de durante a noite durante alguns meses. Aos 10 meses ele já só mamava ao deitar e depois durante a noite (chegava a acordar de noite duas vezes para mamar o que era mesmo muito chato, mas, enfim, uma pessoa habitua-se). No início de Janeiro, pouco antes de fazer os 11 meses descobri que um problema que eu tinha nos ouvidos e que me tinha sido diagnosticado anteriormente como crónico era, afinal, causado por uma bactéria e que se tratava com antibióticos. As outites sucediam-se há tanto tempo que, quando soube que o meu problema tinha tratamento, comecei de imediato a pensar como poderia desmamar o Miguel de vez para poder iniciar o tratamento quanto antes. Apesar de ter de acordar durante a noite, eu adorei mesmo dar de mamar e pensar que tinha de parar assim mais ou menos de repente deixou-me muito triste e aflita. Pensei que eu sofreria, mas que o Miguel sofreria mais. Comecei, então, a reduzir gradualmente as mamadas de semana para semana. Numa semana dei de mamar 3 vezes, na seguinte 2, na outra 1. Fiquei duas semanas a dar só uma vez. Descobri que ele continuava a acordar, mas que adormecia pouco depois se eu o embalasse um bocadinho sem necessidade de lhe dar de mamar. Até que um dia, no final de Janeiro, eu simplesmente decidi que já não ia voltar a dar-lhe de mamar. Pronto, foi assim uma decisão de veio de dentro e doeu, mas tinha de ser e estava decidido. Nessa noite fiquei a dormir no sofá (o Miguel agora ainda dorme no nosso quarto porque só temos um) a desejar que por qualquer milagre ele não acordasse a chorar nessa noite. Mas, claro que acordou e, cheia de medo e de remorso lá entrei no quarto e embalei-o um bocado. E aí deu-se o milagre, ele adormeceu de novo e a partir desse dia só voltou a acordar durante a noite pontualmente e nunca, mas nunca mais procurou a mama. Eu fiquei verdadeiramente surpreendida porque sempre achei que ele iria voltar a querer mamar. Também nunca pensei em dar-lhe comida durante a noite sem ser o meu leite. Afinal, o que desejamos é que eles se acostumem a dormir sem estarem sempre a acordar para comer. E, assim, o Miguel janta e uma a duas horas depois deita-se e só volta a comer de manhã quando acorda. Parece-me que deverias experimentar não lhe dar mais nada de comer, porque comer a certas horas é uma questão de hábito e só sentimos fome quando estamos habituados a comer a uma determinada hora. Durante a noite deve-se é dormir e não gastamos calorias que nos obriguem a comer.
    Também em relação à reacção do meu corpo ao desmame, posso dizer-te que a partir do momento em que me mentalizei que não voltaria a dar de mamar, só me custou um pouco no primeiro dia que o peito ficou um bocado duro e cheio de leite, mas, como que por magia, nos dias seguintes já praticamente não sentia mais do que uma leve impressão até que o leite desapareceu completamente. Eu acredito que está tudo na nossa cabeça e que se nos consciencializarmos de que já não queremos dar de mamar o corpo acompanha o nosso desejo.
    Espero que corra tudo bem contigo!

Deixe uma resposta