O primeiro beijinho

O ritmo de crescimento do Tiago continua a ser impressionante. Aos 16 meses já chega com os pés ao suporte da cadeira de comer, já liga o piano e os brinquedos dele no interruptor e já percebe que há certas coisas que não consegue fazer sozinho e vem pedir ajuda – vai buscar o comando da televisão e passa-mo para a mão em vez de ficar a carregar nos botões ao acaso como costumava fazer, vai buscar um livro e vem para o colo para eu o ler, dá-me a varinha quando quer que eu faça bolas de sabão, etc.

Hoje calçou pela primeira vez um sapato sozinho e subiu para a cadeira de baloiço sem ajuda. E ontem à noite deu-me o primeiro beijinho 🙂

Ele é um grande ciumento e não pode ver o pai a dar-me beijinhos. Vai logo separar-nos e bater no pai. Quer a atenção toda para ele. Ontem à noite foi uma dessas ocasiões. E quando o Pedro se levantou para ir à casa de banho o Tiago aproveitou e veio ter comigo, esticou a cabeça para ficar com a bochecha a jeito para eu lhe dar um beijinho e depois virou-se para mim de boca aberta e eu fiz o mesmo e tive direito a um beijinho dele.

Ele já andava a treinar os beijinhos na mão dele há algum tempo mas directamente na cara de outra pessoa foi novidade. É giro ver que as expressões de afecto se vão desenvolvendo porque no primeiro ano de vida são praticamente inexistentes. E é interessante ver que como o exemplo é tão importante. Ele só faz porque vê fazer.

1 Comment

  1. São os chamados macaquinhos de imitação!
    Mas deves ter ficado felicíssima com o acto dele!

    Nota: Desculpa tratar-te por tu, mas é que já vim cá espreitar umas quantas vezes, espero que não te importes!

    Beijos

Deixar uma resposta