Primeira semana na creche

Ontem deixei o Tiago ficar na escola para a tarde. Era dia de limpeza e é sempre dificil conjugar sesta com aspirador.

Consegui resisitir a passar o dia a telefonar para lá e quando o fui buscar fiquei triste porque ele estava a chorar. Até comeu bem e chegou a dormir um bocadinho mas depois do lanche começou a sentir a minha falta e estava a choramingar. Fiquei logo a achar que tinha feito tudo mal e que estava a torturar a criança mas pronto. Ando a convencer-me que isso está tudo na minha cabeça e que não posso concluir nada antes de terem passado pelo menos duas semanas.

Ele esteve muito rabujento o resto do dia porque estava com sono mas não queria voltar para a cama, acho que principalmente porque não queria ficar sozinho. Acabei por conseguir aguentá-lo até à hora do costume mas foi complicado. Por outro lado, jantou lindamente. Não há dúvida que aquela actividade toda lhe abre o apetite.

Hoje começou a chorar assim que nos aproximámos da porta da escola. Quando o deixei ficou a chorar mas a educadora e as auxiliares conseguiram distraí-lo muito rapidamente. Fiquei a ouvir à pçorta, num sítio onde ele não me conseguia ver e percebi que parou de chorar muito rapidamente.

Continuo a achar que é importante para ele aprender a interagir com outros meninos mas há coisas nos infantários que não gosto nada. Não compreendo porque é que o almoço é às 11 da manhã já que isso impede que eles entrem na rotina familiar que é algo muito importante mais tarde. Mesmo que seja por causa dos miúdos que chegam muito cedo, um lanche a meio da manhã resolvia essa questão. Para além disso a questão da sesta também me parece que vai dar mais chatices do que benefícios porque ele em casa dorme 3 horas e ali vai dormir um máximo de 2 e provavelmente menos. Considerando que ele de noite dorme 12 horas não posso estar a deitá-lo ainda mais cedo e arrisco-me a que ele comece a dormir de menos o que o faz muito irritável.

Ou seja, ele tinha uma rotina que funcionava lindamente e agora está a adaptar-se a outra que o vai por mais cansado com todas as consequencias que isso tem.

Como ainda não estou convencida com esta coisa dele ficar lá o dia todo, tenho que pensar bem se vale a pena. A vantagem da situação actual é que se ele se adaptar bem não há problema, senão, posso sempre voltar atrás sem grandes consequencias. Posso passar a deixá-lo só de manhã outra vez mas sabendo que se tiver de ficar mais tempo também se aguenta porque já ficou.

Hoje vou buscá-lo um bocadinho mais cedo. Vamos ver se já está mais bem disposto.

É claro que agora com o fim de semana pelo meio, quando chegar a segunda feira começa tudo do principio outra vez.

6 Comment

  1. A minha sobrinha, que fez 3 anos em final de Agosto, foi também para o infantário pela primeira vez esta semana, no primeiro dia não chorou, mas nos dias seguintes chorou sempre que os pais deixavam-na lá, a primeira coisa que faz quando chega da escola é comer, estava habituada a comer de duas em duas horas e agora não pode fazer isso. de resto é uma questão de tempo até ela e os pais se habituarem, é assim na maioria dos casos.

  2. Já vi que estamos a passar pelo mesmo!

    Tem sido um horror a adaptação da minha filha ao colégio. Nem de noite consegue descansar! Ela acorda varias vezes e pede para não ir!

    Fico de coração cortado, mas no fundo acho que é o melhor para ela!

  3. Pois é Dee… e eu que estudo educação de infância, já com estágios feitos em creche, continuo a não perceber esse horário. Muito menos percebo porque raio os miudos não hão-de dormir até lhes apetecer… (falo por mim que sempre fui dorminhoca e pelo miudo de quem tomo conta ao final da tarde que diz “eu não goxo da escoinha puque a susy acoda-me e eu tenho xono”
    enfim…

  4. O meu filho tb começou o infantário a semana passada.
    Também não entendo as horas de almoço e lanche, que no caso dele são 11h30 e 15h, quando os pediatras afirmam que, em casa, eles devem começar a socializar-se e a comer em família.
    Quanto a dormir a sesta, além de ser um horário curto, ele acaba por dormir muito pouco pois acorda com o choro dos outros. Claro que tem andado irritável e cheio de sono. Por outro lado, se o começo a deitar mais cedo, acabo por roubar ao pouco tempo que ainda passa com o pai.
    Outra coisa com que não concordo nos infantários é aceitarem meninos doentes. Para além de exigirem um cuidado especial, que as educadoras e auxiliares com muitos mais meninos a seu cargo não poderão proporcionar, contagiam todos os outros.

    Eu sei que faz parte do crescimento, mas cada vez que saio (ou chego) do infantário a ouvir o choro dele, só me dá vontade de começar tb a chorar.

  5. ola…depois de ler o relato e os comentarios vi que nao estou sozinha. A minha filha te dois anos e começou o infantario há uma semana, nos dois primeiros dias nao chorou mas depois começou a pedir pra nao ir e a chorar quando a deixava lá…fazia aquele beicinho, so me apetecia leva la pra casa….para azar, logo na segunda semana de infantario ficou doente com conjutivite, e nao a aceitaram no infantario por ser uma doença contagiosa, ficamos em casa…e agora nao quer voltar, diz que quando esta la pensa em mim….sou psicologa e ja recorri a todas as tecnicas, mas ainda nao a consegui convencer!!
    No infantario dela comem a meio da manha, e almoçam ao 12h, lancham as 16h, estou satisfeita, ela come bem la, e em casa nem por isso…
    So nao concordo com as outras mamãs no aspecto de dormir, porque e minha filha custa lhe muito dormir no infantario, da lhe a sensação que já é noite e que eu a deixo lá mais tempo, e depois ela la dorme 4horas, e em casa so a podia deixar dormir meia hora (no máximo) senão á noite erem duas da manha e eu a correr atras dela pela casa, nao pode dormir a sesta senao fica electrica!!!
    tirando isso estou satisfeita….mas nao me conformo com o beicinho!!! 🙂

  6. Rosário Oliveira says: Responder

    Pois é!!o que eu já me debati com esta questão!!já consultei a psicologa da creche, particular e já fiz trinta por uma linha. Estes horários só podem ser por pessoal reduzido.Os fins de semana, connosco, são uma tortura. Ninguem almoça ás 11 e ninguem quer almoçar ás 14 ou 15!Todos os fins de semana temos reunião da familia alargada e por isso ou não vamos ou a minha filha não dorme todo o dia porque na creche almoça ás 11 e dorme ás 12H!!Que ideia a minha de a colocar na creche…

Deixar uma resposta