A pintura do prédio

Na segunda semana de Setembro começou a montagem dos andaimes para a pintura do nosso prédio.

O prédio estava para ser pintado há algum tempo mas o dinheiro do condominio não dava para tudo – o ano passado foi preciso arranjar os elevadores – e por isso só agora, que já há infiltrações preocupantes em alguns andares, é que a decisão da pintura foi finalmente para a frente.

Este ano a camara de almada lançou uma campanha chamando a atenção das pessoas para eventuais benefícios fiscais para quem pinte o seu prédio de 8 em 8 anos e represálias para quem não o faça. Parece ter funcionado porque tenho visto montes de prédios a ser pintados pela cidade fora. Não sei se o nosso foi coincidência ou se a campanha terá ajudado a convencer alguns cépticos que não tinham problemas e como tal não queriam largar a massa.

A montagem dos andaimes para a pintura do prédio começou no princípio de Setembro. Como os tipos das obras são todos iguais, montaram dois andares de andaimes, tipo cão a marcar território, e depois deixaram aquilo assim durante mais uma semana.

E de repente, um belo dia, tenho gajos a andar fora da minha janela. Mesmo sabendo o que é não deixa de ser desconcertante.

Apesar da pintura ser importante e nós também termos alguns problemas com a humidade na casa de banho e escritório, não deixa de ser irritante o facto de termos acabado de comprar redes mosquiteiras para podermos abrir as janelas e arejar a casa e agora ser preciso ter as janelas fechadas até acabar a pintura e os andaimes serem desmontados.

No dia 15 um homem tocou a diversas campaínhas do prédio a dizer que tinha visto dois homens com mochilas às costas a subir os andaimes e a entrar por uma janela acima do sexto andar. Fomos à janela espreitar e estavam mais pessoas pelo prédio a fazer o mesmo. Não vimos nada mas reparámos que uma das janelas da varanda do sexto andar estava ligeiramente aberta, apesar de ser o dia em que o prédio deveria começar a ser lavado. O Pedro resolveu chamar a polícia porque nestas situações só há duas coisas a fazer: chamar a polícia ou voltar para dentro de casa e fazer de conta que não se passa nada porque não é connosco.

Aparentemente já mais alguém tinha feito o mesmo e os polícias apareceram pouco depois e começaram a subir os andaimes, a verificar as janelas e a perguntar se alguém tinha visto alguma coisa. No final parece que não foi nada. Provavelmente algum engraçadinho achou piada a andar a alarmar as pessoas.

Aquilo que nos deixou mais desconfiados foi o facto de andarem de facto uns idiotas aqui na zona a assaltar ou a tentar assaltar casas. No prédio dos meus pais entraram em pleno dia para uma casa e andaram a estragar tudo apesar de terem levado pouca coisa e no prédio da minha cunhada também já andou alguém num fim de semana à tarde a tentar abrir portas. Como é obvio, com andaimes é ainda mais fácil e como eu fico muitas vezes em casa sozinha ou só com o Tiago, é uma situação que me preocupa

Ao fim de um mês de escuridão e casa abafada por não poder abrir as janelas, lá acabaram finalmente a obra. O dia de desmontar os andaimes foi um dia feliz. É realmente uma diferença brutal poder arejar a casa convenientemente e voltar a ter luz na sala.

Agora tenho de arranjar por dentro mas não é muito complicado. Precisa só de um bocadinho de tempo e paciência.

1 Comment

  1. Eu enquanto estiveram os andaimes no prédio onde morava, também tinha sempre as janelas bem fechadas e os estores corridos.
    Agora há empresas que pintam os prédios presos por cabos, e alem de ser mais rápido, de noite e aos fins-de-semana, não há o perigo de alguém subir pelos andaimes.
    Beijinhos,

Deixe uma resposta