E já vamos na quarta

Não na quarta feira mas na quarta dentada que o Tiago leva na creche. Desta vez foi uma menina e a educadora diz que pensava que ela lhe ia dar um beijinho e por isso não viu razão para os separar. Aparentemente ele nem chorou e só depois é que deram pela marca dos dentes. Felizmente não foi uma dentada tão má quanto as anteriores e à noite já quase não se viam as marcas.

O aranhão que outra menina lhe deu na cara na sexta feira passada, por outro lado, está com um bocado de mau aspecto – não está infectado nem nada disso mas fez uma ferida muito maior do que parecia inicialmente.

O raio do miúdo parece que não volta para casa vez nenhuma sem lá deixar um bocado de sangue…

E eu que me fartei de ouvir que eles evoluiam imenso quando iam para a escola e até agora as únicas diferenças que noto são que o Tiago parou completamente de falar e começou a tornar-se extremamente agressivo comigo – dá-me pontapés e palmadas e arranha-me de forma mesmo violenta. Sei que está na idade das birras mas pelos vistos só faz isto comigo porque na escola ainda não deram por nada. Está a medir forças com a mamã que é uma chata e não o deixa saltar em cima do sofá nem comer lapis de cera que têm um ar tão apetitoso.

Para ter a certeza que esta coisa de não falar é só uma mania comecei a testar o Tiago e fiquei surpreendida com o que ele já sabe. Agora quando ele vem com um livro, em vez de ser eu a dizer o nome das coisas quando ele aponta, comecei a perguntar eu ‘onde é que está o morango? E as calças? e o pato?’ e ele pensa um bocadinho e depois aponta para a imagem certa. O mais giro é que reconhece os objectos fora das ilustrações que já viu 500 vezes porque fiz isso com um livro que a minha mãe lhe deu no domingo e que ele nunca tinha visto antes e ele reconheceu os objectos à mesma. Portanto não tem qualquer problema de aprendizagem ou audição e está simplesmente a ser preguiçoso para falar.

Como o Tiago se anda a interessar pelos números e letras, comprámos um conjunto de números que são imans para ele brincar. Diverte-se a colar e descolar os números do pé metálico da passadeira e eu vou dizendo que número é que ele tem na mão, tal como fiz com as figuras dos livros.

Também queria comprar as letras mas não havia. Talvez para a semana.

Entretanto deram-lhe um ursinho de peluche (na verdade é um rato) na tentativa de substituir o actual que já está com muito mau aspecto graças às constantes lavagens. Ele até gostou do novo boneco mas agora anda com os dois, um em cada braço, em vez de passar para o novo. Não sei se alguma vez o vou conseguir convencer a mudar para outro boneco.

1 Comment

  1. O facto das crianças começarem a testar a sua agressividade com os pais é normal. Normalmente isso acontece a partir dos 15 meses.
    Isto foi o que li num daqueles livrinhos do Brazelton.
    Compete aos pais ensinar-lhes que o que estão a fazer é errado e que nos magoam.
    No meu caso isto é mesmo verdade. Foi comigo que o meu filho começou a testar arranhões, beliscões e dentadas. Às vezes magoa-me mesmo a sério.
    Para mim esta é a parte mais complicada. Ensinar-lhe a disciplina.

Deixe uma resposta