Coisas que não compreendo – parte 3

Porque é que os portugueses têm uma aversão tão grande a chapéus, gorros e afins?

Hoje está uma ventania infernal e como tal, ao levar o Tiago à escola preferi colocar o gorro da minha camisola na cabeça do que passar o caminho todo a ser chicoteada pelo meu próprio cabelo. Assim estou mais quentinha, protegida e não tenho cabelo a tapar-me a visão do caminho.

Isto para mim é lógico, mas pela quantidade de olhares que recebo pelo caminho, usar um gorro para a sua verdadeira função em vez de ser apenas como elemento decorativo é algum inconcebível.

Aliás, cruzei-me com imensos homens e mulheres com camisolas e casacos com capuz, mais preocupados em colocá-los novamente no seu lugar atrás das costas, porque voavam com o vento, do que a lembrar-se de os usar para se protegerem dos elementos.

Do meu ponto de vista, quando uma peça de vestuário funcional se torna moda isso não elimina necessariamente a funcionalidade da dita peça. Mas as pessoa passam a ficar tão preocupadas com usar aquilo como ‘se vê’ que nunca mais se lembram do uso inicial da peça. É um bocado como usar o guarda-chuva como walking stick e apanhar uma grande chuvada porque não nos lembramos que aquilo abre.

Eu sempre gostei de chapéus, tenho uma grande colecção e uso-os com alguma frequencia, especialmente no inverno, em vez do guarda chuva que se está sempre a virar e me ocupa uma mão. Mas usar chapéu vem sempre com a preparação psicológica de sair à rua para ser tratada como um alien.

Mas pronto, num mundo onde os adolescentes usam o rabo fora das calças, compreendo que usar um chapéu na cabeça seja mesmo muito estranho.

3 Comment

  1. Subscrevo. Gosto de gorros e tenho uma colecção de chapéus que uso conforme o meu mood. É uma das razões porque gosto mais do inverno. Posso usá-los quando está frio. Nos últimos dois dias, já tricotei dois gorros. 🙂

  2. Também gosto muito de chapéus e gorros…só não me agrada assim tanto quando os tiro e fico com o meu pouco cabelo completamente liso e sem caracóis na área que esteve protegida…fico no mínimo ridícula…

  3. Estou a gostar desta nova série de post’s, talvez até te sugerisse uma categoria só para eles.
    Como homem, costumo usar gorro, boné, ou até isso conjugado com um dos gorros das camisolas ou casacos, mas sem dúvida que as pessoas que utilizam esses acessórios na cabeça (excepto se fôr uma pessoa de idade) são olhadas de uma forma estranha e por vezes desconfiada.
    Quando era mais jovem cheguei a utilizar bóina estilo “alentejano” e quero ver se arranjo outra mais recente, embora não frequente centros de hipismo (os únicos sítios onde parece que essas bóinas são “aceites em cidadãos do sexo masculino menores de 55 anos de idade).
    Penso que em parte, pelo menos nos homens, isso se deverá à moda “hip-hop” que referes algures aí para trás noutro post desta série, onde é costume, em algumas variações dessa moda, haver um boné no cocuruto a acompanhar as ditas.

Deixe uma resposta