Noite dificil

O Tiago anda constipado semana-sim semana-não desde Outubro. No geral não tem sido nada de grave, sem grandes febres nem infecções nem nada disso, o que pelo que tenho visto de outras mães tem sido uma sorte, especialmente para um miúdo que anda na creche e cujo pai teve um virus brutal durante o Natal.

Normalmente só se nota que está efectivamente doente durante um dia, em que se anda a arrastar pelos cantos, só quer colo e dorme brutas sestas ou então não dorme nada. No dia seguinte já costuma ter um comportamento mais normal, e se não fosse o nariz entupido e a tosse, nem se dava por nada.

Os maiores problemas com estas constipações contínuas são o facto de deixar de comer: duas colheradas de arroz, pousa a colher ou garfo, afasta o prato, começa a sair da cadeira e é uma dor de cabeça convencê-lo a comer mais um bocadinho que seja. A sopa acabou, a fruta só daqueles pacotinhos de chupar porque comer puré de fruta à colher também já não quer e fruta às rodelas também não vai – limita-se a esmagar a fruta na mão e não come nada.

A única forma de comer estas coisas é saltar uma refeição: quando não come sopa ao almoço voltamos a dar ao lanche em vez do leite ou do iogurte. Faz uma grande birra porque não é aquilo que ele quer mas lá acaba po ceder, ao fim de muito protesto. Depois lá lhe damos-lhe o iogurte.

Estas lutas por causa da comida são muito cansativas e verdadeiramente deprimentes. Como ele é magrinho não nos podemos dar ao luxo de o deixar sem comer. Tinhamos esperança que de uma refeição para a outra a fominha fosse mais forte que a birra mas isso nem sempre acontece e às vezes o pequeno almoço fica todo no prato.

Aquilo que salva a situação é que na creche ele come bem. Com os outros miúdos e umas educadoras que não ligam a fitas, ele come tudo sozinho e aparentemente sem grandes problemas. Quando tem de ficar em casa por estar doente é que fica tudo estragado.

O jantar de ontem foi um bom exemplo desta fase. Sentei-o à mesa, ele começou a gesticular em direcção à sopa e começou a comer assim que conseguiu chegar à colher mas ao fim de duas ou três colheradas parou, afastou o prato e começou a tirar o babete. Como é que se passa de fome para ‘já acabei’ com esta rapidez?

O Pedro fez massa com atum para ser a mesma comida para todos e o Tiago ficou montes de tempo a tentar espetar a massa com o garfo mas depois não a comia. Finalmente caçou um cogumelo, meteu-o na boca e cuspiu-o fora rapidamente. Voltou a afastar o prato.

Fui aquecer-lhe arroz, que ele costuma gostar. Comeu um bocadinho mas nem chegou a meio antes de voltar a desistir. Finalmente dei-lhe a fruta, que ele comeu, e depois ficou um bocado a brincar com a massa outra vez, mas não para comer – começou a tirar bocadinhos de massa da tigela a e pô-los no meu prato. Provou uma rodela de azeitona, que acabou por comer e pronto. Acabou.

Durante a noite acordou duas vezes com um choro angustiante. Não conseguimos perceber se foram pesadelos, se estava com fome ou se lhe doia qualquer coisa. Não queria colo e não se acalmava. Lá acabei por conseguir pegar-lhe e passado um bocado começou a acalmar-se mas depois não queria voltar para a cama. Ainda demorou um bom bocado até voltar a deitar-se. Às 3 da manhã voltou a acontecer. Desta vez tivemos de acender a luz porque ele não reagia a nada do que tentámos. Acabou por funcionar. Depois apagámos a luz, ligámos a música e ele aceitou deitar-se ao meu colo e começou a fechar os olhinhos. Quando estava mesmo a adormecer levei-o de volta para a cama e ele pareceu calmo mas começou a chorar novamente quando saímos do quarto mas felizmente acabou por adormecer pouco tempo depois.

Quando acontecem estas coisas continuo a sentir-me tão incompetente como quando ele era recém-nascido.

3 Comment

  1. com a minha filha é a mesma coisa. ela tem mais 2 meses que o tiago. agora anda a fazer greve de fome. ao que pareçe vai comendo na creche. Segundo o Sequeira é normal e não nos devemos preocupar muito.

  2. Cá po casa estamos na mesma, não sei que idade tem o teu filho, mas fiquei com a sensação que é mais velho que a minha…
    Desde Dezembro que anda constipadita e diminuiu drasticamente as quantidades que comia, ela comia muito bem! Continua a fazê-lo na creche ao almoço… mas não em casa!
    Principalmente o 7º parágrafo, podia muito bem ter sido escrito por mim…
    Espero que seja uma fase e que passe depressa, e para vocês também!

    Beijocas***

  3. O meu tem 22 meses. Já deu para perceber que o não comer está mesmo relacionado com estar constipado porque assim que melhora começa logo a comer melhor.
    O problema é que melhora no fim de semana e depois vai para a creche na segunda e volta novamente com o nariz a pingar.

Deixe uma resposta