Coisas que não compreendo: obras

Apesar do metro já estar em funcionamento, as obras continuam, pelo menos na minha zona. Para subir a rua passo sempre por dois ou três buracos todos os dias. Passado uma semana tapam os buracos e abrem novos um bocadinho mais à frente. Na revista de Almada descrevem estas obras como pontuais, de correcção, e feitas por uma pequena equipa para não dar a ideia que toda a cidade continua em obras. Sinceramente não vejo grande diferença. Continuo a ter de passar por zonas de lama ou pela estrada porque o passeio está todo aberto e a passagem bloqueada com grades e uma escavadora. A maior diferença é que pelo menos já consigo atravessar para om outro lado da rua, o que já não é mau, mas torna as viagens diárias à creche uma verdadeira corrida todo-o-terreno em que o mapa do percurso está sempre a mudar.

Passar por todas estas obras faz-me sempre pensar no mesmo: porque é que em qualquer obra está sempre um homem a trabalhar e dois ou três de braços cruzados a assistir? É SEMPRE a mesma coisa e parece-me um desperdicio imenso de recursos. Em qualquer obra estão sempre a pagar a uma série de gajos para não fazer nenhum. É um caso típico da má gestão portuguesa.

Deixe uma resposta