De volta ao duche

Na sexta feira as obras da casa de banho ficaram finalmente concluidas.

Na quinta feira fui a correr buscar o Tiago porque ainda estava à espera que aparecesse o Sr. Carlos, o ‘patrão’ para ver se a obra tinha sido bem feita. Consegui voltar em meia hora, quase a morrer, e mesmo a tempo porque ele tinha acabado de chegar e estava ainda na casa da vizinha a ver como corria a pintura. Depois veio cá a casa e pelos vistos a banheira não estava como ele queria e este ainda ali imenso tempo a tirar o silicone a mais e a dar instruções ao outro homem sobre o que deveria vir fazer no dia seguinte.

Na sexta de manhã, felizmente um pouco mais tarde do que no dia anterior, lá apareceu ele, e passou novamente a manhã de volta daquilo. À hora de almoço disse que tinha acabado, almoçou na minha sala (vinha com a marmita enrolada num pano) e de tarde foi acabar a pintura da vizinha.

Quando me preparava para ir buscar o Tiago, apareceu o Sr. Carlos outra vez. Esteve a ver aquilo e desta vez aprovou, dizendo apenas que agora tinha que secar uns dias. Paguei-lhe e saí a correr para chegar à creche a horas. Foi ao milimetro mas lá cheguei a horas. Fartei-me de fazer exercício estes dois dias.

Pelo meio andei a fazer css para um trabalho que estava mesmo no fim mas estava tão stressada com a história das obras que perdi um dia a resolver um problema que era afinal super simples. Às vezes quanto mais se tenta menos se faz.

No sábado fomos tomar duche a casa dos meus sogros porque não podiamos usar a banheira até secar. O Tiago fartou-se de berrar. Pelos vistos não é grande fã do duche.

Se agora conseguirmos resolver a questão da chaminé, pode ser que consiga começar novamente a sentir-me em casa.

Deixar uma resposta