Protocolo de conduta para lojas chinesas

Há imensas lojas chinesas na zona onde vivo mas não sou frequentadora habitual. No entanto, um dia destes precisava de verniz, e como sei que vendem materiais de pintura resolvi entrar numa para ver se tinha sorte. Fui vendo as prateleiras devagar, acabei por ir à secção de brinquedos ver se tinham uma coisa para o Tiago que já procurámos em diversas lojas, e por fim fui à secção de pintura. Aparentemente demorei demasiado tempo numa zona recatada da loja porque apareceu o dono a perguntar se precisava de ajuda. Disse-lhe o que procurava, ele disse que não havia e eu saí. Pela forma como fui seguida até sair da loja pareceu-me que fiquei marcada como potencial shoplifter.

Hoje resolvi ir a outra destas lojas comprar umas daquelas imitações de crocs para o Tiago para ver se ele pára de roubar os meus. Quando saí da loja lembrei-me de ter visto na outra um conjunto de notas e moedas de euro de brincar que é capaz de dar jeito daqui a uns tempos para ensinar o Tiago a identificar o dinheiro. Resolvi voltar então à loja, que ficava de caminho. Entrei, fui directa à prateleira e depois para a caixa. Aparentemente causei um grande pânico. Pelos vistos este comportamento é ainda mais suspeito do que vaguear pela loja.

Ignorei o ar obviamente alerta dos donos, pousei a mala e o meu saco no balcão e tirei a carteira para pagar. A dona da loja deve ter tido tempo suficiente para se certificar que não havia nada dentro da minha mala pelo que mudou rapidamente a atenção para o saco. Perguntou se podia juntar o que eu tinha acabado de comprar ao saco que já trazia. Disse-lhe que sim e ela passou um longo bocado a olhar lá para dentro a certificar-se que eu não tinha roubado nada.

Parece que fiquei definitivamente marcada como um perigo naquela loja pelo que não tenciono lá voltar (não que tencionasse faze-lo de qualquer forma). Mas não deixa de me fazer um bocado de impressão este tipo de atitude. Acho que se fosse tentar roubar alguma coisa provavelmente escolheria outro tipo de loja. Não me parece que fosse enriquecer à custa de dois ou três produtos de 1 euro que conseguisse enfiar na mala se estivesse inclinada para o fazer.

No entanto isto fez-me pensar que existe um protocolo de conduta para estas lojas que deve ser seguido à risca. Primeiro deve-se entrar pela porta principal, mesmo que a loja tenha duas portas. Deve-se dizer bom dia, andar devagar, pedir ajuda muitas vezes para dar aos donos da loja uma desculpa para nos vigiarem de perto e nunca sair sem comprar nada. Sem seguir este padrão estamos condenados a uma vida de crime, pelo menos na mente dos donos da loja.

3 Comment

  1. LOL! A tua experiência é hilariante! Claro que, se fosse comigo, não teria achado tanta piada 🙂
    Também não sou frequentadora de lojas chinesas, mas já tinha ouvido falar dessas “perseguições”. Mas olha, não fiques ofendida, se calhar é alguma coisa cultural… Tipo, eles podem achar estranhissimo que se entre pela loja dentro à procura de algo, em vez de perguntar, esperar a resposta e aí sim entrar. Não sei, estou a especular, claro.
    Mas que para a nossa maneira de estar a atitude deles é quase agressiva, lá isso é.

  2. Pois é. Onde moro também existem muitas lojas de chineses e passa-se exactamente o mesmo. Pior, desconfiam de nós, porque passam a vida a tentar levar-nos dinheiro a mais sempre que o artigo depositado em cima do balcão não vem etiquetado. Experiência própria, mas o pior é que falam sempre em chinês como forma de nunca percebermos os equívocos prepositados.

  3. é característico dos chineses!!! são MTO desconfiados! acontece sempre, a não ser que tenham empregadas brasileiras e com essas é a descontracção, depois é vê-los regressar e ver que têm imensos clientes a vaguear pela loja e as empregadas na conversa ehehehehe passa-me ao lado, se for loja que tenha coisas que gosto não quero saber o que eles pensam ^_^

Deixe uma resposta