De volta às grades

Esta noite dei com o Tiago a vaguear pela casa às 3 da manhã. Acordei com o som da porta do quarto dele a abrir e fui ver o que se passava. Ele tinha ido até à sala mas como não encontrou ninguém e estava tudo escuro estava a voltar para trás e quando me viu esticou os braços a choramingar para lhe pegar ao colo.

Peguei-lhe e andei a ver se encontrava água para lhe dar, porque ele nunca pede nada e eu tenho que continuar a tentar adivinhar o que ele quer por tentativas. Não encontrei nenhuma garrafa de água na sala por isso voltri ao quarto dele e tentei convencê-o a deitar-se no meu colo mas ele entrou em modo de birra, dizzendo não a tudo e abanando-se violentamente cada vez que eu lhe tocava.

O Pedro, que tinha acabado de adormecer, acordou com o barulho e lá foi buscar um copo de água, mas por esta altura o Tiago já estava na sua fase de recusar tudo, incluindo aquilo que até pode querer e já não valia a pena.

Acabou por se aconchegar no colo do pai e fez a rotina de ir para a cama toda de novo.

Eu aproveitei para voltar a por a grade na cama porque é um perigo ele andar pela casa sem vigilancia. Para além disso, se não conseguir sair da cama volta a adormecer passado pouco tempo e sem a grade acabamos por acordar todos e perder uma hora a meio da noite por causa da birra de sono. Vamos esperar até ele ser mais crescido e um pouco mais obediente para voltar a tentar a cama normal.

Andamos a sentir-nos muito cansados e a precisar de férias, mas se as férias forem como os fins de semana vão ser uma tortura. Estamos a considerar arriscar e ir mesmo passar uns dias a qualquer lado, para mudar de rotina pelo menos.

Deixar uma resposta