Conversa de comboios

Atrelado: Pai!
Locomotiva: Sim?
Atrelado: (conversa incompreensível)
Locomotiva: ‘bigado fofinho

Depois de montar a pista, oTiago brinca com os comboios e carros como se fossem pessoas, mantendo conversas e criando relações entre eles – mamã, papá, bebé – e tem imensa piada ver a representação que ele faz das relações familiares. O bebé chora e a mamã dá beijinhos, a mamã diz ‘não!’ – suponho que seja a versão boa e a versão má da mamã. Pelo menos está equilibrado).

O ursinho continua a ser o seu bebé mas tanto serve de conforto como é vítima dos seus ataques de raiva e por vezes também serve de arma de arremesso. Mas no final acaba sempre por ser o companheiro indispensável nas horas de sono.

Deixar uma resposta