Um pouco mais desanimada

Depois de termos ido ao banco e obter uma resposta bastante positiva – sempre relativa à avaliação da casa, mas não me parece que haja muitos problemas por aí – ontem de manhã voltámos a visitar a casa, acompanhados de dois empreiteiros, para nos fazerem um orçamento das obras necessárias, de acordo com aquilo que nós achamos necessário fazer. Nenhum adiantou qualquer espécie de valor no momento, como é obvio, mas fiquei com a ideia que será bastante mais do que os 25 ou 30 mil que nos tinham sugerido inicialmente.

Um dos pontos baixos foi a descoberta de um barrote do telhado completamente podre, o que implica uma intervenção mais extensa do que tinhamos esperança que fosse necessário. Também não deu para perceber se as infiltrações, que são causadas pelos algerozes, são complicadas de resolver ou não pelo que tudo isto tem o potencial para deslizar para uma despesa absurda.

Saí de lá bastante desanimada e com a sensação que ainda não é desta que vamos ter uma casinha com espaço e um terraço para o Tiago andar de triciclo. Vamos esperar pelos orçamentos mas estou um bocado pessimista, até porque dependemos de um empréstimo familiar que não estou a ver ir a lado nenhum.

Graças a tudo isto não dormi nada esta noite e estou tão cansada hoje que até tenho tonturas. Acabei por desistir de tentar dormir às 4 da manhã, depois do Tiago ter vindo ressonar para a nossa cama e eu ter passado uma hora sem conseguir voltar a adormecer. Fui para a sala beber um iogurte líquido, porque estava cheia de fome, e ver TV, e depois ainda passou mais uma hora até conseguir chegar a algo que se parecesse com dormir.

Continuo a achar que, tendo o dinheiro, vale a pena investir naquela casa mas já me começa a parecer que não é para nós. Ainda por cima a dona da casa não parece muito aberta a negociações relativamente ao preço, e o que ela pede de momento não dá mesmo para nós nem me parece que seja fácil alguém comprar a casa naquele estado por aquele preço.

1 Comment

  1. Percebo realmente bem aquilo que estás a sentir. Acho que já passámos por isso duas vezes. Felizmente as coisas correram bem, Podemos não viver num palácio e, decerto não é a casa mais bonita ou bem decorada das redondezas, mas, contabilidade feita, temos 5 assoalhadas(não muito grandes), um pequeno jardim para as crianças e conseguimos viver os cinco fora da cidade a 5m da escola onde dou aulas.
    Se viesses para esta zona (Quinta do Conde) secalhar ias gostar…

Deixar uma resposta