Ano novo

Há alguns anos que a passagem de ano é em casa dos meus sogros com jantar seguido da geração mais velha à volta de uma guitarra a contar músicas dos Beatles (por vezes já sob a influencia duns copinhos de whiskey) seguido de ver o fogo de artificio da varanda, apropriadamente virada para o Tejo.

Penso que se começou a tornar um pouco repetitiva pelo que alguém achou boa ideia introduzir o conceito de máscaras nesse dia. Há quem ponha muito tempo e energia nos fatos e quem só pense nisso cinco minutos antes. Connosco varia um bocado de ano para ano. Este ano alguns dos fatos estavam muito giros, apesar de pouco práticos para usar toda a noite.

Para variar também dos Beatles, começámos a levar a PS3 com o singstar, que pelo menos permite um pouco mais de variedade (mesmo assim, como temos o singstar Queen ou o singstar Abba, a probabilidade de sair outra das músicas que comprámos online era baixíssima, o que é uma pena). Também aumenta o volume de som, graças aos microfones, mas como permite organizar equipas acaba por dar para mais gente participar.

Se não fosse o choque Tiago/Martim que deixou toda a gente um bocado mal disposta, teria sido uma noite mais agradável mas não há grande coisa a fazer com crianças desta idade.

(nota para a posteridade: acho que nunca fiz tanta censura num post como neste… raios, que isto começa a tornar-se difícil. Mais valia começar a meter tudo ‘private’.)

5 Comment

  1. De facto também lamento que a noite tenha ficado estragada mas desculpa vou ter que te corrigir. Não houve nenhum choque e as crianças não são da mesma idade. O martim acabou de fazer um ano e o Tiago Tem praticamente 3. É verdade que as crianças da mesma idade se batem… não foi o caso até porque o Martim nunca se chegou ao Tiago para lhe bater, para o empurrar ou para lhe tirar brinquedos! É a casa dos teus sogros e a casa dos meus Tios… e eu fui a primeira a tentar atenuar o sucedido (sem sucesso algum). Não estou a censurar ninguém, nem NUNCA em momento algum culpabilizei o Tiago. Concerteza que ele não tem noção do que são ciumes e muito menos de como NÃO os deve pôr em prática mas PENSO (se calhar estou enganada) que o problema não está aí… Peço-te só que pares para pensar se a situação fosse contrária, se te sentirias bem?!?
    Eu bem não me senti, até porque fui acusada de gerar “stress”. Como sabes a minha mãe é educadora há quase 30 anos… já lhe passaram muitos meninos pelas mãos e todos eles diferentes. Cada um educa e mima como bem entende… quando o meu filho faz qualquer coisa que eu acho que não deve, eu repreendo até ele deixar de fazer e se for preciso apanhar uma palmada apanha! Até porque em muitas situações é para o bem dele (senão deixava-o lamber detergente da roupa, brincar com o piaçaba, atirar os brinquedos pela janela, arrancar pelos aos gatos, etc…). ATENÇÃO mais uma vez que não estou de forma alguma a criticar a forma como vocês educam ou ensinam o vosso filho. Para agravar a situação o Martim costuma brincar com meninos da idade do Tiago, e esses recebem-no muito bem, de certa forma até o protegem e dizem “é bebe, com cuidado”, portanto o Martim chegou-se para Brincar com o Tiago como faz com os outros meninos… Mas o ciume não permitiu que assim acontecesse e o Martim passou a noite a levar empurrões.
    Mais uma vez lamento mas tenho a certeza que se tivesse sido ao contrário tu também não te sentirias bem. Não é o fim do Mundo e ninguém se magoou mas a verdade é que o clima que se instalou foi mau e toda a gente falava “baixinho”. De falar baixinho e de comentarios por trás, eu gosto muito pouco e por isso decidi responder-te. Se de facto somos da mesma familia, não deveria haver “stress” em falarmos abertamente sobre o que se passou. Ao contrário do que dizes, “o Martim quando crescer vai fazer igual”… eu vou fazer os possiveis para o impedir. Não Vou deixar que o meu Filho bata em ninguém (a não ser como auto-defesa) muito menos num bebe… A falar é que ” a gente se entende”. Um beijinho para Todos e tudo a correr bem com a tua gravidez

  2. Inês, para quem vem aqui deixar um comentário que apregoa tanta abertura e comunicação não podias ter sido menos clara nas tuas convicções. A única coisa clara é que te sentiste mal por o teu filho ter sido empurrado, algo que compreendo perfeitamente porque me sinto igualmente mal quando o Tiago empurra os outros, por incrível que isso te possa parecer.

    Quanto ao resto é uma lista de acusações imediatamente negadas que não levam a lado nenhum. Os outros miúdos da idade do Tiago tratam bem o Martim, logo o problema é do comportamento do Tiago e não da idade mas não culpas o Tiago. Sobra então a acusação dos pais não o saberem educar e de ‘cada um mima como entende’ mas logo a seguir não estás a acusar ninguém de não saber educar, apesar de não resistires a mencionar o curriculo da tua mãe.

    Não sei bem qual o objectivo de tudo isto mas sinceramente parece-me que estás activamente a tentar armar confusão e eu não estou interessada em telenovelas.

  3. olá novamente! Mais uma vez lamento mas não me fiz entender como gostaria. Eu de novelas também não gosto e de confusões muito menos. Relembro-te que no dia seguinte ao sucedido enviei uma msg ao meu Primo falando da situação…se quisesse confusão tinha armado confusão no próprio dia…coisa que não fiz! Mantive-me quieta e calada no meu canto esperando apenas que a situação passasse.
    Quanto ao curriculo da minha mãe, parece ter ofendido alguém. Há quem tenha mãe advogada, há quem tenha mãe médica…a minha é de facto educadora há 30 anos. E aquilo que quis dizer com “já lhe passaram muitos meninos pelas mãos” foi tão somente porque todos eram e são diferentes! Há meninos que mordem, que são ciumentos, que são timidos, que se afastam, que batem, que não batem, etc. Na escola do meu filho as turmas de diferentes idades misturam-se e os mais velhos sabem que quando os mais pequenos chegam, é preciso ter mais cuidado. Portanto: a unica coisa que eu quis dizer foi… o Tiago não gostou da presença do Martim e teve ciumes, whatever, porque ele estava sempre a tentar chegar-se a ele para brincar (como faz com os outros). Mas provavelmente o Tiago não costuma lidar com meninos mais pequenos e por isso sentiu o seu espaço (familia e brinquedos) invadido! Mais uma vez Dalila tenho pena que tenhas achado que eu estava a acusar…Não estava!
    E como é lógico, também sei que não gostas de ver o Tiago empurrar alguém… Acho que não sou tão estupida assim!

    Por ultimo, quanto ao cada um educa e mima como bem entende… Existem Pais que deixam fazer tudo, outros que não deixam fazer nada, outros que são super protectores, outros que são super liberais!!! Cada um na sua! Ninguém é melhor que ninguém, ninguém educa melhor que ninguém…e infelizmente nunca conseguimos prever que consequências daí advém… è como aquela velha história dos pais que proibem tudo com medo que os filhos se metam no que não devem e eles mesmo assim vão-se lá enfiar! Portanto mais uma vez não foi uma critica… tenho pena de mais uma vez ter sido acusada de estar “activamente” a criar confusão ou fazer uma telenovela quando só quis conversar sobre a situação! Eu sou mesmo assim, não gosto que as coisas fiquem atravessadas… muito menos com pessoas de quem gosto e por quem tenho admiração! Mas isto é mesmo assim… nem sempre somos entendidos como queremos.

    um beijinho para todos

  4. Desculpa voltar mas queria só dizer-te com toda a sinceridade que em momento algum eu quis censurar alguém. Não me sinto Bem por ter passado essa imagem… e por isso peço desculpa! Tens Toda a razão quando dizes que são crianças, isto é normal e vai passar!! Mexeu comigo porque parecia que ninguém podia dizer nada a ninguém… isso faz-me confusão, o que é que queres??!
    Mas pondo-me na tua posição provavelmente interpretaria as minhas palavras como tu interpretaste… fui impulsiva e nada clara! E tu ficaste ofendida a ponto de achar que eu queria armar confusão! A minha intenção era o oposto mas de boas intenções está o inferno cheio e eu infelizmente provoquei algo que não queria provocar…
    E exactamente por isso pedi desculpa por msg…

  5. Epá, Inês – deixa passar a coisa. Não aconteceu nada de grave a não ser o comportamento exagerado dos adultos a uma interacção desagradável mas natural entre duas crianças muito pequenas e esta discussão toda é um exagero pegado e ainda vai acabar a família toda chateada sem razão nenhuma, o que seria uma pena. Pessoalmente gosto muito de vocês todos e não estou nada zangada contigo nem com ninguém, nem me passaria pela cabeça tal coisa.

Deixar uma resposta