Tiago, 34 meses

A dois meses dos 3 anos de idade, o Tiago mostra cada vez mais imaginação nas suas brincadeiras. Os carros e bonecos falam e relacionam-se e eu divirto-me imenso a observar, e sou muitas vezes chamada a participar.

Uma das brincadeiras envolve um autocarro e um boneco do Batman, que são muito amigos e brincam à apanhada. O peluche do Mickey qye a tia Bela lhe deu no Natal tornou-se um dos seus grandes amigos. Tenho de ser eu a falar pelo Mickey e a mexe-lo, para dar um toque extra de realismo e como tal estou constantemente de serviço. ‘Agarra no Mickey, mamã’ é das frases que oiço mais hoje em dia.

O fogão que demos ao Tiago também tem lugar nas brincadeiras, principalmente porque acende luzes e faz o som de água a ferver. Ele gosta de ligar os sons dos brinquedos todos ao mesmo tempo, algo que por vezes me dá uma vontade enorme de fugir a gritar. Fora isso o fogão é raramente usado. O forno tem mais função como garagem do que como forno, mas também é cedo para este tipo de brincadeiras mais realistas.

Felizmente a fase mais terrível de não se querer vestir de manhã parece ter passado e ultimamente as coisas têm corrido melhor.Com um misto de brincadeira, tipo ‘esconder o pé nas calças’, vai-se conseguindo colaboração no meio da teimosia. O contar até três também continua a ser eficaz quando a coisa não avança mas acho que não vai funcionar por muito mais tempo. Já noto uma resistencia maior.

O Tiago continua a demorar uma eternidade para comer e não sei muito bem como resolver isso. Não quero fazer muita pressão à volta da questão da comida mas por vezes torna-se doloroso estar à espera dele.

As noites continuam a ser o pior, com o Tiago a acordar diversas vezes e a acabar na nossa cama. Umas noites insistimos para ele voltar para o quarto mas outras estamos demasiado exaustos. Já aprendi a aceitar que é mesmo assim e quando não consigo dormir vou eu para o sofá da sala e deixo-o na minha cama. Na casa nova tenho de arranjar uma cama extra senão não me safo.

A linguagem continua a avançar lindamente e o Tiago já se faz entender muito bem e aprende palavras novas todos os dias e depois gosta de as usar. Está a começar a repetir também as expressões em inglês que nos ouve usar e é capaz de ser a altura ideal para introduzir uma segunda lingua, agora que ele já está mais à vontade com a primeira. Ele já vê desenhos animados em inglês à muito tempo mas responde em português pelo que não é claro quanto é que compreende.

Esta é também a idade para começarmos a ter muito cuidado com o que dizemos porque ele repete tudo e aprende rapidamente as expressões que ouve como provou um dia destes com o ‘ena pá, tanta luz!’ quando acendi a luz da casa de banho de manhã.

Em termos de comportamento, continua a ser muito teimosso e reage mal quando recebe uma ordem directa. Para conseguir que ele faça alguma coisa tenho mais sorte com um tom de voz doce do que com gritos, algo que para mim é muito difícil. Acabo por alternar entre os dois, o que o deixa bastante confuso mas acaba por funcionar às vezes. É a técnica do ‘não estou zangada mas não me provoques’.

Como é esperto e já percebeu que passar o tempo a dizer ‘não’ não funciona, agora adoptou a técnica de se ir esconder debaixo da mesa, como se fosse brincadeira, quando quer atrasar – seja para vestir o casaco quando estamos a sair ou para ir lavar os dentes à noite. Como o objectivo é ter atenção, a única coisa que funciona é deixá-lo em paz até desistir e depois insistir um bocadinho com ele. É mais rápido do que ralhar e ir atrás dele.

1 Comment

  1. Bom dia.

    Sou jornalista do programa da manhã da Sic, onde abordamos, semanalmente, conteúdos infantis com a ajuda de um pediatra.
    Vamos ter um tema relacionado com as ‘brincadeiras’ e, depois de passear pelo seu blog percebi que tem muito a dizer sobre esta matéria, em relação ao Tiago.
    Gostaria muito de falar consigo sobre o assunto e ver da possibilidade de podermos fazer uma reportagem convosco.
    Caso esteja interessada, pedia que entrasse em contacto comigo.
    Sem outro assunto de momento,
    Os melhores cumprimentos.

    Rita Louro
    Jornalista do ‘Companhia das Manhãs’

Deixar uma resposta