5 meses

A Joana faz hoje 5 meses e está a desenvolver-se de acordo com o previsto. Começou a transferir objectos de uma mão para a outra, anda a roer tudo o que encontra porque os dentinhos estão a começar a querer sair, já prefere estar sentada do que deitada, apesar de ainda precisar de apoio e é muito atenta a tudo o que a rodeia e muito curiosa.

A pediatra disse-nos que não valia a pena dar-lhe comida sólida antes dos 6 meses mas noto que a Joana já se interessa pelo que nós estamos a comer e parece querer experimentar. Já fomos comprar uma papa sem gluten e vou começar a experimentar dar-lhe um bocadinho todos os dias, nem que seja para ela se começar a habituar à colher, para quando chegar a altura da sopa já não ser uma coisa tão estranha.

A Joana também começou já a virar-se sozinha mas nem sempre consegue. Se estiver de barriga para baixo vira-se fácilmente. Ao contrário é que ainda não consegue bem. Fica virada de lado mas ainda lhe falta a última manobra do braço para se virar completamente.

Por outro lado já se queixa muito menos quando a deito de barriga para baixo. Costumava cansar-se facilmente e perder a força para segurar a cabeça mas agora já fica nessa posição bastante tempo, em preparação para gatinhar.

É um alívio muito grande ver que está tudo a andar normalmente, especialmente nestas primeiras fases em que eles não comunicam e não temos outra forma de saber se estão bem.

A Joana anda constipada há cerca de um mês mas não é nada de grave. Tem o nariz entupido e esta semana começou com tosse mas é tudo perfeitamente normal nesta altura do ano em que até os adultos continuam a constipar-se regularmente. Continuo a achar que a amamentação tem grande valor neste departamento porque os meus anticorpos passam para ela e fica com mais defesas. O Tiago também só tomou o seu primeiro antibiótico quando foi para a creche. A Joana tem um risco acrescido porque tem um irmão que vem com toda a espécie de virus e bactérias da escola e ainda por cima gosta de mexer nos brinquedos dela mas como não têm muito contacto directo também não há grande problema.

O Tiago continua maioritariamente a ignorar a irmã mas já não a rejeita. Levo-a para o quarto dele sem problemas e estamos os três no espaço de brincadeira em harmonia. Apesar de não ser muito carinhoso com a irmã, o Tiago também não é agressivo e chega a ter algumas atitudes de tentar consolar a irmã quando os pais não estão presentes. Se eu saio da sala um bocadinho e a joana começa a chorar o tiago vai embalá-la no baloiço, por exemplo.

Esta semana foi precisamente quando o Tiago começou a ter o primeiro contacto físico voluntário com a irmã. O pai fez-lhe cócegas na barriga e a Joana riu-se. o Tiago gostou a reacção dela e também quis fazer cócegas. Demonstra que assim que ela começar a ter comportamentos e reacções mais positivas que ele reconheça, o laço entre os dois será fortalecido naturalmente.