Joana, 1 ano

A Joana completa amanhã um ano de vida. Eu não tenho tido muito tempo para me sentar a escrever e já deixei passar uma série de detalhes que gostava de registar.

Nos últimos dois meses a evolução da Joana continuou dentro do que seria de esperar. Passou a querer comer sozinha e já lhe posso dar um prato com carne, peixe ou massa e ela come sozinha sem problemas. Mastiga bem e raramente se engasga. Ainda não usa os talheres e faz uma porcaria indescritível, porque é tão divertido atirar a comida ao chão como por na boca, mas safa-se bem.

O desmame correu bem, já que ela está mais interessada em comida sólida do que leitinho. Também passou a aceitar beber água, algo que há uns meses atrás não ia sem grandes caretas, e começou a comer quantidades maiores. Acho que continua a ser mais fácil alimentar a Joana do que foi o Tiago. Desde que tenha o prato à frente, uma colher ou um brinquedo para se distrair, não costuma reclamar muito e come bem.

Em termos de mobilidade, aprendeu a trepar – camas, sofás, etc – e a descer de costas, pondo primeiro os pés no chão, sem cair. Foi de um dia para o outro e aprendeu a subir e a descer na mesma altura. Acho que o Tiago aprendeu a subir mas depois queria atirar-se de cabeça e com ela isso não aconteceu. É  claro que este desenvolvimento torna a vigilancia ainda mais importante, assim como a necessidade de ter certas portas sempre fechadas. Ela tem uma velocidade tal a gatinhar e trepar que se me distrair já está em cima da cama no tempo que eu demoro a levar um prato da sala para a cozinha. Lá porque percebeu como se desce não quer dizer que não possa cair ocasionalmente se eu não estiver lá para ver. E por mais que se fale em vigilancia, não é possível estar a olhar para eles 24 horas por dia e a prevenção é mesmo o mais importante.

A Joana ainda não anda sozinha mas já fica imenso tempo em pé, só com as costas encostadas ao sofá para ajudar o equilibrio, sem ter de se segurar com as mãos, pelo que já não deve faltar muito para os primeiros passos.

Já escolheu o seu bonequinho de dormir – uma daquelas mantinhas com a cabeça de um coelho – e não aceita substituições. O problema é que ela chucha no boneco (nunca se habituou a usas chuchas) e aquilo fica a cheirar mal em pouco tempo e tem de estar a ser constantemente lavado. Tenho e comprar mais 2 ou 3 para ir trocando mas não consigo encontrar aquilo à venda cá.

O desenvolvimento da linguagem continua mais ou menos na mesma. A Joana diz olá a toda a gente e acena com as mãos, repete alguns sons e nota-se que alguns deles são claramente tentativas de dizer certas palavras mas por enquanto não passa disso. Está é a comunicar mais por gestos, apontando para o que lhe interessa e mostrando-se interessada quando lhe digo o nome das coisas.

A Joana continua a ser muito bem disposta mas passou por uma fase em que só queria a mamã – ao ponto de nem o colo do pai ser muito bem aceite. Felizmente acho que já passou um bocado. No entanto desenvolveu umas fúrias súbitas quando não tem aquilo que quer. Berra e bate no chão com toda a raiva não deixando dúvidas sobre o protesto. Felizmente passa depressa, pelo menos por enquanto. Daqui a um ano é que vai ser bonito…

Entretanto, e depois de um inicio lento, a Joana já tem os 4 dentes da frente. Só falta saber se o problema com o leite de vaca se mantém, mas pelo menos já confirmei que não tem qualquer reação à soja, que é sempre uma boa alternativa nestes casos.

Daqui a mês e meio vai para a escola mas penso que vai ser mais fácil do que foi com o Tiago. Primeiro porque ela já vai à escola todos os dias buscar o irmão, portanto é já um espaço familiar, e até já encontrou a sua futura educadora algumas vezes. E depois porque tem uma personalidade muito mais sociável do que o irmão e cresceu logo com outra criança em casa, o que faz muita diferença.

Deixe uma resposta