Drama infantil

Ontem, quando fui buscar o Tiago à escola, ele veio a correr para mim com um ar todo feliz. Levou-me até ao cacifo para me mostrar que uma colega lhe tinha dado uma pulseira de elástico, daquelas que têm uma forma, neste caso era um saxofone – eu nem sabia que tal coisa existia, aliás, e o Tiago insistia que era um cão 🙂 . Veio o caminho todo com a pulseira no braço e eu sugeri que ele deveria oferecer algo de volta à menina. Ele perguntou se podiamos fazer também uma pulseira de elástico e eu concordei.

Depois do jantar, fui buscar os materiais e o Tiago escolheu umas contas de madeira que eu enfiei num fio elástico. Hoje levou a pulseira para a escola para dar à menina. Quando o fui buscar vinha com um ar muito triste a dizer que outra menina tinha tirado a pulseira e se recusava a devolver.

Eu queria fazer qualquer coisa, para ele não ficar com aquele ar triste mas a educadora está de férias. Ainda falei com duas das auxiliares, que não sabiam de nada e não cheguei longe. A menina a quem a pulseira era destinada confirmou que não a tinha dado à outra de livre vontade mas o pai não deu imporancia nenhuma à situação e ficámos por aí. O Tiago começou a dizer que queria ir para casa.

Como forma de resolver a situação sem ele ficar triste por a sua primeira tentativa de oferecer uma prenda ter corrido mal, disse-lhe que faziamos outra pulseira. Começo a achar que vou ter de fazer uma para as meninas todas da sala antes de ficar toda a gente satisfeita 🙂

No meio disto acho piada à insistencia do Tiago em querer dar a prenda e a meiguice de tudo isto. Mas mesmo nas coisas mais simples parece que estamos sempre a aprender que as coisas nunca correm como queremos.

1 Comment

  1. Hoje de manhã foi logo por a pulseira no cacifo da menina certa e eu mostrei-lhe que esta tinha o nome, caso houvesse novamente confusão. 🙂

Deixar uma resposta