Presa fácil

Como a maioria das mulheres, gosto de me sentir feminina. Gosto de roupa bonita, maquilhagem, de ter um aspecto cuidado. Pelo que vejo da minha filha de 3 anos, acho que algumas mulheres já nascem assim. No entanto, devo dizer que me preocupa e enfurece a forma como a sociedade teima em tentar manter as mulheres frágeis, vulneráveis e facilmente objectificáveis. Assusta-me ainda mais o facto de muitas mulheres abraçarem despreocupadamente os supostos ideais de beleza que levam a este triste fim sem questionar a origem ou objectivos dos mesmos.

Na minha humilde opinião, há muito que a moda disfarçadamente conspira para manter a mulher fraca e sem capacidade de defesa, transformando-a num mero objecto decorativo e colocando em segundo plano a sua inteligência. Desde os espartilhos, felizmente em desuso, que obstruíam a respiração plena, até aos saltos altos, ainda em uso, que impossibilitam a corrida e assim limitam a fuga em caso de perigo, passando pelas longas unhas decoradas que apenas permitem manusear objectos com a ponta dos dedos, impedindo a mão de se fechar em punho, o vestuário da mulher parece maliciosamente pensado para a tornar uma presa fácil.

E ainda não falei do mais óbvio que é a absurda noção de que uma mulher tem de passar fome para ter o corpo ideal. Ideal esse que é o cúmulo da fraqueza física, ou seja, magro e sem músculo. O músculo “em excesso” é daquelas preocupações parvas de que oiço inúmeras vezes as mulheres queixarem-se quando se fala de exercício físico. Fica aqui uma informação importante: se não tomarem esteróides não ficam com corpo de homem. Vão lá para o ginásio descansadas.

No meio de tantas conquistas, como o direito ao voto, à educação e ao trabalho, porque é que as mulheres permitem que a sua aparência física ainda seja controlada desta forma? Faz-me lembrar os Eloi do H. G. Wells, uma raça que era mantida feliz e parvinha porque basicamente eram o gado dos outros. As mulheres, ao permitirem que a sociedade continue a ditar padrões de beleza irrealistas, desconfortáveis e cruéis está a deixar-se levar em manada para o matadouro sem dar por isso. Afinal de contas, os homens tanto podem ser protectores como agressores e nunca se sabe qual destes tipos vamos encontrar ao virar da esquina. Mais vale um bom par de ténis e aulas de auto-defesa do que saltos altos e pilates. Just saying.

Deixar uma resposta