Dia comprido

É uma daquelas leis do universo que num dia em que há qualquer coisa importante para fazer aparecem mais quatro ou cinco.

Comecei recentemente a dar aulas de português a uma amigo polaco. Sabendo que eu preciso de arranjar trabalho e sendo um gajo porreiro, o Mike contratou-me para o ensinar a falar melhor a língua do país onde vive há dez anos. Acho que ele tem uma compreensão melhor da linguagem do que pensa mas estamos a trabalhar algumas falhas, nomeadamente no uso de com, a de, em, etc.

A minha manhã foi então passada numa destas aulas, em que completámos frases escolhendo uma das opções fornecidas. Como a aula começou meia hora mais tarde do que o previsto, fiquei com uns míseros dez minutos para almoçar antes de ir para Lisboa.

Fui à loja da Rua da Rosa que vende a minha bijutaria levar uns brincos novos e recolher algumas peças que já lá estavam há algum tempo sem saída.

Regressei a casa perto das quatro da tarde e passei no supermercado para comprar uma caixa de gelado, a minha forma de celebrar o facto de ter acabado ontem o primeiro ano do meu curso de Joalharia.

Depois do segundo duche do dia (maldito calor) o meu pai veio-me buscar para a fase seguinte. Tinha uma consulta do Tiago e uma reunião na escola da Joana precisamente à mesma hora por isso foi preciso chamar reforços. Fomos buscar o Tiago e levá-lo à consulta. Paguei e depois o meu pai deixou-me na escola da Joana para a reunião. Levou a Joana e foi buscar o Tiago.

Felizmente a reunião demorou menos meia hora do que eu previ. Fui buscar os miúdos a casa dos meus pais e voltámos de metro para casa e para a rotina do banho-jantar-cama.

O marido, nem vê-lo porque, graças à tal lei das coincidências, hoje é também um daqueles dias ultra importantes no trabalho de onde ele não vai sair tão cedo. Tudo bem. Com as coisas bem planeadas e ajuda da família as coisas resolvem-se.

Deixe uma resposta