Avengers

Ao fim do que suponho tenha sido mais um ano sem ir ao cinema, ontem fomos ver o Avengers. Os meus pais ficaram com os miúdos e nós fugimos rapidamente para aproveitar o bocadinho de sossego 🙂

Apesar dos 20 minutos de publicidade (durante os qual estive a jogar Smurfs no ipod para não ter que olhar para lá), do intervalo mesmo antes do ataque aéreo e da conversa constante do casal do lado a explicar o filme ao filho, não me posso queixar.

O Avengers é um óptimo filme de entertenimento. Tem imenso humor, graças aos diálogos e pequenos detalhes típicos do Joss Whedon. As cenas de conversa, que nestes filmes costumam consistir em exposição chata, aqui são uma batalha verbal entre personagens que nos dá uma noção de como pensam de forma diferente e cria uma dinâmica interessante entre eles.

As cenas de luta, que para mim costumam ser uma seca com uma grande confusão de coisas a mexer onde não se percebe nada, são neste filme mais bem estruturadas e pontuadas com algumas piadas que impedem que se perca o interesse. Não deixa de ser um filme de acção, e assim sendo, quem gosta de realismo e filmes intimistas e muito emocionais nunca vai gostar desde filme, mas dentro do estilo é um bom filme.

Dentro dos filmes da Marvel feitos até agora, o único que estará ao mesmo nível é o primeiro Iron Man mas é mais porque o Robert Downey Jr. é perfeito neste papel e dá à personagem um humor sarcástico irresistível, porque sinceramente não achei grande piada à luta final. No Avengers também arranjam uns monstros gigantes mas pronto, era preciso qualquer coisa para dar algum desafio ao Hulk.

E por falar no Hulk, gostei imenso do Mark Ruffalo como Bruce Banner e conseguiram fazer um Hulk que se parece com o actor, o que também ajuda. A cena do Hulk com o Loki é fantástica e o Loki é um vilão perfeito. Tem um ar lingrinhas e até por vezes vulnerável  e depois dá aquele sorriso e é bom que se preparem 🙂

A Scarlett Johansson é a mulher forte do filme. É bom que tenham escolhido uma actriz com curvas suficientes para encher o fato porque já não há paciência para as actrizes lingrinhas que são a moda dos últimos tempos. Se os gajos são todos enormes a mulher não podia ser um palito.

Continuo a não suportar o gajo que faz de Thor. É mau actor, sem qualquer profundidade emocional e não passa de um Male Bimbo (ou Mimbo, segundo o Seinfeld). Não consigo explicar porquê mas cada vez que vejo aquele tipo apetece-me logo desfazer-me a rir o que tira qualquer credibilidade ao personagem. A piada sobre o Shakespeare in the Park faz-me pensar que não serei a única pessoa a achar isto…

Por fim, acho que o type casting anda a estragar a estragar muitos filmes. Assim que chegou a primeira cena do laboratório fiquei logo a saber quais iam ser os ‘maus’. São sempre os mesmos, raios!

Deixe uma resposta