Eu só queria paz e sossego

Estamos todos doentes há semanas – eu, o Pedro e os gatos.

Qualquer pessoa que já tenha tentado dar comprimidos a gatos sabe que a tarefa requer muita paciência e bastante imaginação. Medicar 5 gatos duas vezes por dia é das coisas mais desgastantes que tenho feito nos últimos tempos. Eles nunca mais melhoram e os 7 dias de comprimidos transformam-se em 14. Entretanto os gatos aprendem as técnicas de lhes dar os compimidos e vai-se tornando cada vez mais dificil. Inicialmente bastava colocar o gato entre as pernas, estando de joelhos no chão, abrir a boca com uma mão e atirar o comprimido com a outra, fechar a boca e confundir o gato, tapando-lhe a cara e fazendo umas festas um bocado a atirar para o irritante. Mas a certa altura eles começam a bloquear a mão do comprimido com uma pata, a fazer de conta que engolem e depois cospem o comprimido assim que se escapam, começam a babar-se para evitar que o comprimido entre, enfim, uma quantidade infindável de truques para nos dificultar a vida. Considerando que continuam todos a espirrar pelos cantos várias vezes ao dia uma pessoa começa a perguntar a si mesma se vale a pena este esforço todo.

O único gato que não está a sofrer tratamento é o House que provavelmente foi quem trouxe este virus altamente resistente para casa e já deve estar imune. É que o raio do virus resiste a tudo – tratamentos, vacina…

Espero que passe brevemente porque não sei se aguento este ritmo muito mais tempo. É que para além dos comprimidos temos xarope para duas gatas (que felizmente já acabou), gotas nos olhos da Buffy 3 vezes por dia porque está com uma conjuntivite e gotas nos ouvidos de duas outras gatas para tratar otites crónicas que vão reaparecer assim que parar o tratamento.

Para além disto tudo o natal e agora a preparação para o ano novo têm sido particularmente cansativos, com diversas visitas ao supermercado porque falta um ingrediente e tardes a cozinhar para o dia seguinte. O ano novo ainda tem a dificuldade acrescida de arranjar um fato. Isto porque se criou em anos recentes a tradição de ir vestido de acordo com um tema – o ano passado foi um fato representante de um país e este ano é um personagem de ficção. Como não me lembrei de nada que desse para integrar a barriga, que está maior a cada dia que passa, resolvi ignorar. Vou vestida de Morticia Addams, com uma saia que não aperta bem até acima mas faz-se o que se pode. Não tenho paciência para ir comprar roupa de propósito.

Como também passou a haver troca de prendas no ano novo agora é o dobro do stress e duas semanas de seguida sem sossego. Ando tão cansada nem consigo achar piada a nada disto. Acaba por ser uma dor de cabeça e só gostava de poder aproveitar este tempo para descansar em vez de ter de andar a correr. Mas pronto. Se não alinho sou uma chata por isso vai-se aturando. Também não quero estragar a festa a ninguém.

4 Comment

  1. Dee, não me leve a mal, mas não é um pouco arrisgado encarar uma gravidez com uma casa cheia de gatos? Ainda mais doentes? Veja bem, nada contra gatos, já tive um (não tenho mais pois seria uma maldade com ele), mas sim uma preocupação contigo.

  2. Aquilo que os nossos gatos têm agora é o correspondente a uma gripe e não se transmite aos humanos.

    A história de que os gatos são um perigo para a gravidez é pura ignorãncia. O único problema é a toxoplasmose, que os nossos gatos não têm. O mais recente, o house, foi testado e deu negativo. Os outros já vivem connosco há tanto tempo que não faz diferença. Isto porque a toxoplasmose nos gatos só se transmite pelas fezes e apenas durante uma semana após a infecção. É mais frequente apanhar de carne mal cozinhada ou vegetais mal lavados do que de gatos. É por isso que ainda me faz confusao aquelas pessoas que consideram abandonar os seus gatos pelo simples facto de estarem mal informadas.
    É que se fosse assim tão complicado as veterinárias não podiam engravidar, não é?

  3. Trocar prendas no ano novo!! Isso arraza qualquer orçamento! Já a ideia do disfarçe parece interessante, mas, a meio de uma gravidez, nada deve ser mais incomodo do que tentar enfiar uma fatiota!!

    Bom ano de 2007.

  4. Eu tenho 2 gatos e nunca lhes deixei de dar atenção enquanto estive grávida, apenas tinha extra cuidado em lavar as mãos depois de brincar com eles e a minha pequena nasceu bem. Também nunca percebi o porquê dos constantes avisos sobre o mal que os gatos fazem, chagaram-me a dizer que a criança podia nascer peluda :p Agora é que eles estão a dar-me dores de cabeça porque acham que o quarto dela é deles.

Deixe uma resposta