Um mês de Tiago

O Tiago fez ontem um mês. Por um lado nem acredito que já tenha passado tanto tempo. Por outro parece-me simplesmente um longo dia desde a saída do hospital até aqui.

O dia começou com a entrega de uma prenda para ele, vinda da nossa amiga Elisa. Eram dois conjuntos de calça e camisola e um chapéu.
No geral acho que este primeiro mês não tem corrido mal. Ele continua a chorar só quando está desconfortável – precisa de mudar fralda, tem fome ou dores de barriga – e o resto do tempo continua calminho e nem se importa de ficar no berço quando está acordado (ou seja, não está constantemente a pedir colo). Isso pelo menos vai-me permitindo fazer as coisas básicas como tomar banho e comer ocasionalmente. É claro que as minhas refeições são todas fora de horas, com pequeno almoço às onze e almoço por volta das 4 da tarde, e isto nos dias em que me lembro de comer, que não foi o caso hoje. Mas depois jantei bem para compensar.

Infelizmente ontem começou uma nova dose de grandes dores de barriga e tanto a noite como a manhã de hoje foram complicadas. Mas vai-se gerindo, com uma mistura dos diversos métodos.

Temos tido outros pequenos desafios ao longo deste mês. Um deles tem sido tratar a infecção que ele apanhou no olho direito e que se recusa a passar. Também está com a cara e pescoço cobertos de borbulhas, algumas das quais podem ter sido provocadas pela infecção do olho, já que ele passa a vida a enfiar as mãos nos olhos e a esfregar a cara. O que também dá origem a vários cortes que ele faz com as unhas. Já tentei calçar-lhe luvas mas ele abana as mãozinhas duas vezes e as luvas saltam fora por isso acabei por desistir.

Outro desafio é mudar-lhe a fralda antes dele conseguir regar tudo num raio de um metro à sua volta. Os rapazes são lixados por isso e este anda a ver se ganha uma medalha. Começa deitado de costas e depois consegue rodar até estar deitado de lado enquanto faz um arco de xixi exactamente naquele momento em que tenho as duas mãos ocupadas com a bisnaga de halibut. Tem um timing fantástico.

Mas no fundo, se não andasse com tanto sono, até achava tudo isto divertido. Sendo assim estou desejosa que ele cresça mais um bocadinho para ver se começa a dormir mais de duas horas de seguida.

Pelo menos ontem à tarde consegui dedicar-me a um dos meus hobbies e estive a fazer coisas em biscuit. Preciso de acabar com a massa que já comprei porque aquilo ganha bolor muito rapidamente e por vezes seca mesmo estando fechada no pacote original. Tenho a impressão que não compro mais quando esta acabar. Prefiro voltar ao Fimo.

É claro que passei horas de volta daquilo e não fiz quase nada. Para ficar perfeitinho cada peça demora uma eternidade a trabalhar. Tenho de tentar acabar hoje.

5 Comment

  1. Olá de novo Dalila 🙂

    Ok, ok… conselhos!! (estes são mesmo grátis, e de boa fonte… de um pai de primeira àgua que também já passou por isso tudo 😉

    Acerca desse “aspersorzinho” que ele tem entre as pernocas, acredites ou não, só aconteceu uma “rega”, para aí umas três ou quatro vezes… e olha que o Pedro já tem quase 3 anos. Portanto, 3 a 4 “aspersões” em 2 anos e meio, é uma excelente média. Como fazia para evitar isso? Simples! Tinha SEMPRE à mão uma fralda de pano. Dobrava-a até ficar assim tipo um rolo achatado e colocava-a entre as pernas dele enquanto lhe mudava a fralda. Por vezes, claro, a fralda de pano ficava encharcada. Mas era muito mais simples colocá-la na roupa suja do que ter de andar a limpar as redondezas ou mesmo a nós próprios 😉

    As crianças realmente justificavam uma revisão à teoria da Relatividade, pelo menos a nível da temporalidade 🙂
    Achamos que não há meio de ficarem mais velhas para podermos ter mais tempo de qualidade para nós, mas depois, quando “olhamos para trás”, o tempo passou a correr… é como dizes: parece que foi apenas um longo dia.
    Como já disse antes, as coisas não “melhoram muito”… simplesmente mudam.
    Vives desejosa que ele comece a comer comidinha de gente grande para não teres de andar sempre preocupada com papas especiais ou de andar com água fervida para lhe fazer um biberão. Mas, mal ele começa a comer comida de gente grande, começa a pedir coisas que não lhe vais querer dar, pelo menos com muita frequência, (tipo chocolates, coca-cola, rebuçados, bolos, etc). Também começa a ter um cheiro bem pior no cocózinho!! 😉 Bem, mas para isso basta a transição de papas para sopas ou quando começa a comer fruta. Preparem-se! 🙂

    Também vão estar desejosos que ele comece a andar. Quando finalmente o faz, ficam tão mais livres!! Não têm de estar sempre com ele ao colo. É como se recuperassem os braços! Mas, a partir desse momento, passam a aceder a muitas mais coisas, vão estar sempre a olhar para eles para ver no que se metem e onde mexem, tudo passa a ser um perigo em potencial.

    Também vão estar desejosos que ele fale. Mas, quando começar, há alturas em que queriam ouvir algo na televisão, ter uma conversa com alguém ou simplesmente dizerem algo um ao outro e… ele vai falar e falar e falar e exigir a vossa atenção.

    Já estão a dar mais valor aos vossos papás, não é Dalila e Pedro? 🙂
    Se as crianças soubessem o que implica elas simplesmente existirem… o trabalho que dão, as alterações que nos abrigam a operar na nossa vida, os sacrifícios… e vale tudo a pena porque é fantástico!! 🙂

    Beijos e abraços,

    ah, e parabéns pelo primeiro mesinho do Tiago 🙂

    Rui

  2. Off Topic: Dee sendo tu uma grande fã de Johnatan Rhys Myers tens que pedir ao Pedro que arranje a série The Tudors onde ele interpreta Henrique VIII, a série está bastante boa.

    E já agora a The Riches protagonizada pelo Eddie Izzard.

  3. Joe, obrigado mas por acaso já estou a ver a série. E já agora uma questão: tenho de pedir ao Pedro porquê? As meninas não se orientam sozinhas, é? Um comentário um bocado machista, não achas?

    O The Ritches já experimentei ver e não gostei.

  4. Lol. pois, não foi no sentido que tu não saibas arranjar os eps, foi mais no sentido de estares muito ocupada com o pirralho que não tenhas muito tempo para andares no emule/torrent à procura destas duas séries.

Deixe uma resposta