Dia no Spa

O meu simpático marido, ofereceu-me um voucher de Day Spa como prenda de aniversário. Como era quase um dia inteiro e preciso marcar com antecedencia, só hoje é que fui.

Cheguei cedo e fiquei a ler um bocado até ser hora. Depois veio uma senhora buscar-me e levou-me para uma sala onde vesti o fato de banho e fui para o Jacuzzi. Devo dizer que esta parte não me entusiasmou assim muito. O Jacuzzi estava basicamente no corredor, separado da zona de passagem por estores brancos. Ficar ali sentada sem nada para fazer, nada de interesse para onde olhar e sentindo perfeitamente as pessoas a passar do outro lado dos estores não foi particularmente relaxante. Suponho que para quem vai as amigas até possa ter piada porque pelo menos dá para conversar, agora assim não vale a pena. A água tresandava a cloro, era até ao pescoço e borbulhava de tal forma que tinha que estar constantemente a limpar a cara. Não podia encostar a cabeça porque levava com jactos nos ouvidos e não podia ler porque ficava com o livro encharcado.

Quando finalmente acabou, tomei um duche para tirar o cloro e depois deitei-me numa marquesa onde fizeram limpeza facial – lavar, seguido de tónico, massagem, esfoliação e máscara. Deixaram-me deitadinha enquanto a máscara actuava e depois foi a ver do hidratante e estava terminada esta parte.

Vesti o roupão e fui para outra sala arranjar as unhas. Aí tive de ficar bastante tempo para o verniz secar – ainda bem que levei o Kindle – e depois fui para a sala da massagem. Quando a parte das pernas estava a chegar ao fim toca o raio do telemóvel que me esqueci de desligar. A massagista troxe-me a mala para eu desligar o aparelho infernal e vi que era a mulher a dias. Percebi logo o que se passava, mesmo sem falar com ela: fiz uma cópia nova da chave de casa e ela não consegue abrir a porta com aquilo. Como não podia fazer nada naquele momento, mesmo que quisesse, tentei ignorar mas custou-me imenso conseguir voltar a relaxar.

Tirando isso a massagem foi optima e é algo que sou capaz de repetir um dia destes.

No final da massagem trouxeram-me chá e umas bolachinhas, mas como o chá mancha e as bolachas custam a mastigar, graças ao maldito aparelho dos dentes, agradeci mas tive de recusar. Por esta altura eram duas da tarde e o iogurte que comi às oito da manhã há muito que já tinha desaparecido, mas também estava quase a ir-me embora. Faltava só lavar e secar o cabelo, que foi rápido.

Gostei da experiencia, no geral. As senhoras foram todas muito simpáticas e eficientes, eu nem sabia bem a lista completa dos tratamentos porque o Pedro é que tinha tratado de tudo mas não tive que me preocupar com nada e fui levada de um lado para o outro sem estar muito tempo à espera (tirando a parte das unhas por razões lógicas).

Cheguei a casa às três da tarde para confirmar que de facto a mulher a dias não estava cá mas até nem foi assim tão mau porque pude ir para a cozinha comer qualquer coisa em paz e sossego sem ruído do aspirador.

Aconselho assim os homens que já não sabem o que mais oferecer às suas esposas a considerar esta opção dos vouchers de Spa. As senhoras gostam dos mimos, passam um dia calmo de onde saem a sentir-se bonitas e é menos uma coisa que fica lá em casa a apanhar pó.

Deixar uma resposta