Genealogia

Ontem, como estava à espera de um orçamento de programação sem o qual não podia avançar grande coisa no trabalho, fui novamente até à Torre do Tombo para fazer mais uma pesquisa. Já consegui recuar o suficiente nalgumas linhas para ter chegar aos microfilmes feitos pelos mormons que têm décadas num só rolo, permitindo procurar mais do que uma geração de cada vez, desde que sejam da mesma freguesia, o que até é o caso para grande parte da minha família.

Com isto quer dizer que consegui chegar a sétimos avós do lado do meu pai (a família Portugal) e a praticamente todos os sextos avós do lado da minha mãe. Não há dúvida que dá trabalho e é estupidamente cansativo passar um dia a decifrar caligrafias horríveis de 1770, ainda por cima cheias de borrões e outros problemas, mas acaba por dar uma leve sensação de vitória quando se consegue encontrar o que se procura apesar de todas essas dificuldades.

Também aproveitei para comprar o livro de inventário dos registos paroquiais porque ajuda imenso saber de que anos é que não existe nada, como por exemplo os registos que eu precisava agora do Pedrogão. Como não há nada entre 1794 e 1837 acho que a busca desse lado fica obrigatoriamente por aqui. O que é uma pena porque até estava a correr bem.

Ao fim do dia fui ter com o Pedro e fomos ao Colombo fazer umas compras de Natal. É estupidificante a forma como se encontra muito mais variedade de coisas ali do que no Fórum de Almada, inclusive nas mesmas lojas. Encontrei um livro novo da Ruth Rendell, por exemplo. Por cá é mais Ruth quem?

O único problema foi virmos carregados com os sacos todos no fim. Eu já estava cansada e cheguei a casa já no limite da bateria.

Entretanto ontem à noite o Pedro resolveu ligar o modem de ADSL e parecia estar tudo bem. Só que, como acontece sempre, quando eu precisei de trabalhar hoje de manhã não conseguia fazer download de email e só via determinados sites e nos outros dava erro. Nem percebi qual era a lógica para uns funcionarem e outros não porque alguns estavam inclusive no mesmo servidor. Mesmo estranho. Acabei por ter que ligar novamente pela cabovisão que, apesar de perder 3 em cada 5 pacotes, pelo menos permite-me trabalhar mais ou menos.

É claro que o coitado do Pedro é que sofre com estas coisas porque eu não percebo nada disto e ele tem de me estar a dar instruções passo a passo por telefone até estar tudo a funcionar. Especialmente por causa da configuração do router. Oh well.

Entretanto o House anda a ser transportado da sala para o quarto uma a duas vezes por semana para se conseguir aspirar a sala e não gosta nada disso. Já tem força suficiente para se tentar escapar e fica montes de tempo a miar quando muda de sítio. Mas eventualmente lá acalma.

Pelo menos parece estar a melhorar bastante. Já passa muito mais tempo em pé e até já começa com tentações de correr. Anda principalmente a dar pequenas corridas para ir dar uma patada na Buffy ou na Nikita quando passam por ele. A culpa é delas que ainda não pararam de atiçar o gato desde que chegou. Acho que ainda se vão arrepender de se andarem a meter com um gato de rua.

Mas por outro lado acho que se habituou bastante bem à domesticidade. Prefere dormir em cima de uma manta do que no tapete da sala e já torce o nariz à ração, preferindo comida de lata. Para um gato que limpava o prato independentemente do conteúdo, é uma diferença notável.

2 Replies to “Genealogia”

  1. Antonio Nogueira Régis says: Responder

    Senhor

    Saudações

    Pelo que li, o senhor se dedica com afinco ao estuda e a pesquisa genealógica.
    Meu hexavô é natural de Lisboa, José da Costa d’Alentejo, casou-se no Estado das Alagoa, acredito ter vindo para o Brasil, em medos do século XVIII. (sei que é difícil encontrar alguém sem a freguesia)
    Caso se esbarre com o dito, me avise.

    desde já grato pela atenção

    Antonio Nogueira Régis
    antonioregis.blogspot.com

  2. Em primeiro lugar não sou um senhor.
    Em segundo lugar, uma pesquisa genealógica requer uma série de informações, para além da freguesia que refere, tais como ano provavel de nascimento e nome dos pais, sem o qual é impossível encontrar seja quem for já que os registos de baptismo referem apenas o nome próprio da pessoa. Pode tentar pedir uma pesquisa aos serviços da Torre do Tombo ou de outro arquivo onde pense estar o registo que procura mas sem essas informações não chega lá.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.