Nunca se pode tocar nos fumadores

O post anterior tinha que dar os costumeiros comentários críticos. Não se pode falar de fumadores ou futebol sem irritar alguém.

A verdade é que o site é meu, e se não posso matar ninguém só porque me incomoda posso pelo menos fantasiar com isso. É para isso que isto serve.
Porque raio é que tenho de ser eu a mudar de sítio, ir-me meter numa discussão de duas horas com uns imbecis quaisquer ou fazer seja o que for quando não sou eu a incomodar? Acham que aquelas pessoas vão mudar alguma coisa no seu comportamento só porque eu as vou incomodar com a minha indignação? Claro que não!

A atitude é sempre a mesma, ‘estás mal, muda-te’. Eu prefiro ‘estás mal mata a mosca que te incomoda’.
E se há alguém que fica muito incomodado com isso, sigam o vosso próprio conselho: estão mal, mudem-se. Não obrigo ninguém a ler os meus desabafos, especialmente se não tiverem senso comum para compreender que aquilo que se precisa de dizer às vezes pode ser excessivo, pode ser irracional, pode ser completamente estúpido até, mas precisa de sair. É por isso que os serial killers são sempre muito simpáticos e calmos até ao snap. Se andasse por aí a matar pessoas cada vez que me apetece também andava muito mais calma o resto do tempo.
Os fumadores têm o direito de fumar e eu tenho o direito de desejar vê-los a sufocar lentamente até à morte. É mórbido? E então? Isso faz mal a alguém?
Ao contrário de algumas pessoas eu tenho plena noção da diferença entre realidade e fantasia.

E sim, tenho montes de fumadores na família e não é por isso que desejo a sua morte, apesar de por vezes me irritar extraordinariamente o hábito. Mas geralmente as pessoas que nos conhecem e sabem que não fumamos nem aprovamos o vício têm o cuidado de ir fumar para outra sala ou esperar que se acabe de comer ou seja o que for, algo que um estranho não quer saber. É humano só nos preocuparmos com as pessoas que conhecemos.

22 Comment

  1. Tu própria desencadeas-te esses comentários, era de esperar, a maioria do portuguêses não têm senso comum. Gostei da referência aos serial killers, realmente uma morte de vez em quando para descarregar o stress, boa terapia 🙂

  2. Concordo com a Dee. É claro que ninguém (mentalmente são) vai matar alguém por estar a fumar, mas se eles têm o direito de nos prejudicar a saúde nós também temos o direito de nos indignar por isso. E eu pessoalmente não conheço ninguém que não exagere um bocado no que diz quando está zangado, faz parte do conceito de “desabafar”.
    Muitas vezes pensei o mesmo quando estou muito bem no meu canto e de repente chega alguém a deitar o fumo para cima de mim. Na estação dos comboios, na paragem do autocarro, na praia, etc…São locais abertos mas nem por isso o fumo deixa de chegar às minhas vias respiratórias e prejudicar a minha saúde. O fumo passivo é ainda mais nocivo, e quem fuma tem a obrigação social de ter noção disso.
    Lembro-me de ter aprendido algures uma frase que me soa bastante correcta: a nossa liberdade acaba no ponto exacto onde interfere com a liberdade dos outros.
    Os fumadores têm o direito de fumar, claro. Mas não têm o direito de prejudicar a minha saúde. E se são eles que estão a interferir com um direito meu, porque hei-de ser eu a mudar-me?
    Há fumadores que, felizmente, compreendem isto. Outros, menos “iluminados”, não percebem ou não querem perceber. É pena.

  3. Com alguma pena de o meu comentário anterior não ter passado no “funil” da aprovação, mas sabendo que com certeza que tu o leste; chamo a atenção para que é importante ter uma atiutde activa perante quem nos incomóda. Ou seja, não é por falar nas costas e reclamar e ficarmos todos muito contentes porque concordamos todos uns com os outros que algo vai ser mudado.
    Há que tomar atitudes activas, tipo chamar a atenção de quem está a incomodar, de forma a que se aperceba de que o está a fazer, ou então simplesmente tentar melhorar a vida mudando-se para um sítio em que não haja o referido cheiro incomodativo. Isso é viver em sociedade.

  4. Opss desculpa a cena da aprovação, não vi que tinhas psoto outro post entretanto, portanto vi os comentários do post errado:-(
    De qualquer forma acho que o que disse é válido…

  5. Mariana, acho só que a tua opinião é um bocado inocente. Confrontação não resulta numa mudança de atitude. Para isso era preciso que fossemos todos civilizados. Confrontação resulta apenas em prepararmo-nos para aturar uma peixarada de duas horas de uma pessoa que não vai fazer mais do que defender-se porque se sente atacada. É assim que funcionam todos os animais incluindo nós. O fumador em questão, quando confrontado com a informação que está a incomodar geralmente responde com insultos e uma atitude tipo \’grande estupida deixa-me em paz\’. Não que isso seja razão para qualquer pessoa evitar o confronto, mas neste dia específico eu estava já demasiado irritada para confiar em mim mesma e à minima provocação era capaz de obrigar os gajos a comer areia, atitude que pelos vistos tenho alguma tendência para praticar desde os meus tempos de pré-primária. Há dias em que prefiro não fazer nada, mesmo sentindo-me mal por isso, em vez que resolver a coisa à pancada.
    Já me levantei no cinema e desatei a gritar com os gajos da fila de trás que não se calavam, já fiz uma série de coisas desse tipo e o resultado é sempre o mesmo: nenhuma intervenção dentro do socialmente aceitável funciona.

    Já agora, eu não apago comentários só porque alguém discorda do que digo. Só não admito aqueles que considere abertamente insultousos ou verdadeiramente estúpidos. E mesmo esses, se estiver em dia de responder na mesma moeda até são capazes de passar. É sempre bom ter alguém em quem bater quando se está irritado.

  6. Mas afinal, se um blog não serve para escrevermos o que nos dá na telha, podendo ser socialmente inaceitável ou politicamente incorrecto, pra que serve afinal?
    E até por experiência, quanto mais “incomum” é a reacção à situação, mais tendência tem para surtir efeito. No meu caso passo por maluca e as pessoas acabam por ter mais cuidado com o que dizem/fazem, mas entre isso e ficar de mal comigo, a remoer uma circunstância em que deveria ter dito alguma coisa menos própria e não o fiz…
    É que eu, COMIGO, tenho mesmo de viver!

  7. ComentadordeServiço says: Responder

    Oi Dee! Passei por aqui hoje e verifiquei que houve uma autentica revolução…tem um certo ponto positivo…o blog está se a tornar um lugar de debate…não é mau de todo…embora a Dee tem razão..este place é um place dela e portanto pode dizer o que pensa..é um place onde desabafa e ri e chora e partilha com o mundo todas as experiençias por que passa e acha relevante postar(retirado do ingles post). O tabaco sempre será um assunto delicado tal como o aborto ou a homossexualidade. O tabaco faz mal como muitas outras coisas e a ciênçia provou que é factor determinante para muitos problemas biologicos. Acho que temos que entender que os blogs não são opiniões colectivas..são espaços singulares..o blog torna-se uma entidade psicológica como se fosse uma pessoa no meio de tantas outras..por isso devemos ter um espirito mais aberto e não entrar em conflito com as opiniões postadas nele:). keep the good work! besitos!

  8. Você está a tornar-se uma pessoa amarga Dee.
    Comeco a imaginá-la daqui a muitos anos como uma daquelas velhas ranzinzas, rabujentas.
    Nao tenho por hábito comentar blogs, nunca o fiz até hoje. Agora achei que devia.
    Desde há muito tempo que leio o seu blog e já ri e já chorei muito com algumas das suas vivências.
    E embora nao a conheca pessoalmente desejo que você seja muitissimo feliz, porque concerteza você merece. Mas tenho reparado que nos ultimos tempos você relata experiências menos positivas de uma maneira muito radical. Dee seja um pouco mais paciente e compreensiva para com as atitudes de terceiros mesmo que estas nao lhe agradem. E congratule-se quando essas atitudes a deixam imparcial porque nao é evidente que assim seja. Mas ajuda a ser feliz nao se irritar por coisas tao pequenas de forma tao extrema. Think Positiv! 🙂 Tudo de bom para si, sao os meus sinceros desejos.

    Be

  9. Não tenho de ser positiva nem paciente. Não devo nada a ninguém. E ser feliz é uma noção que só me parece possivel à custa de químicos ou após uma lobotomia. Quem é que disse que temos de ser todos felizes?
    Se me tornar amarga como mais chocolate.

    Não suporto comentários paternalistas nem pessoas a tentar dizer-me o que eu devo fazer.

  10. O que eu mais gosto neste blog, que leio ha bastante tempo, é o facto de a Dee não ser hipocrita. Diz o que pensa, sem rodeios nem falsas modéstias.

    Não esta aqui para agradar, esta aqui para dar parte dos seus sentimentos pessoais. Quem não gosta, azar.

    Ser feliz Dee, não é, de facto, obrigatorio. O que as pessoas parecem não compreender é que cada um procura e constroi a sua felicidade a sua maneira.

    Tenho um tio meu que diz: “Sou assim, e quem chorar que limpe os olhos!”

    A terrivel falta de acentos neste texto é da pura responsabilidade do teclado francês!

  11. Bom dia Dee,

    Eu tenho de dar-lhe razao, nós nao temos de ser todos felizes. Mas acredite que é possivel ser-se feliz sem ser á custa de quimicos ou lobotomias. Pena é que você pense assim. E embora eu ache a sua resposta ao meu comentário um tanto rebelde e infantil continuo a desejar-lhe que seja bafejada pela sorte de saber ver as coisas de uma maneira algo mais positiva e menos drástica.
    Quanto ao chocolate acho uma boa ideia. Tambem gosto de chocolate. E diga se pelo Natal eu puder enviar-lhe duas barras de chocolate Suico. 🙂
    Felicidades e muitos parabens pelos trabalhos fantásticos e criativos que você produz.

    Um abraco (sem paternalismos! ;)) )

    Be

  12. É possivel ser-se feliz. Interessante. E isso aplica-se a toda a gente sem excepção? Como exactamente? Como é que é possível generalizar uma coisa tão pessoal? Através do pensamento positivo? É que isso soa-me exactamente àquilo que a minha mãe tinha a mania de me dizer cada vez que me doia qualquer coisa e ela não se queria chatear com isso que é ‘não penses nisso que passa’. Essa história do pensamento positivo parece-me sempre que é apenas ignorar o que está errado, as emoções que não são happy happy joy joy. Só que as outras emoções – a tristeza, o desespero, a raiva – são tanto parte de nós como a alegria a que aspiramos. E se o que nos causa desespero é ignorado, mais tarde ou mais cedo vai rasgar o caminho até à superficie. Tentar ignorar esse facto é tentarmos enganarmo-nos a nós próprios. Se alguém é feliz porque não tem traumas nem grandes obstáculos, óptimo, mas apregoar que qualquer pessoa pode ser assim independentemente dos seus obstáculos pessoais é ser muito iingénuo. Se fosse assim tão simples toda a gente era feliz e não havia necessidade de psicoterapia.

    Dizer que o meu comentário é rebelde e infantil demonstra apenas que se estava à espera que a mensagem de ‘vamos ser todos felizes e contentes’ fosse bem aceite. Rebelde porquê? Rebelei-me contra alguma coisa? Limitei-me a afirmar que não concordo e acho a afirmação ingénua e a roçar o ofensivo com a sua atitude de ‘eu sei melhor que tu o que é bom para ti.’ E infantil porque não me dei ao trabalho de escrever a longa resposta que tal comentário merecia? Espero ter agora dado a devida atenção ao mesmo. Não que esta resposta seja diferente da anterior.

    Além disso acho que ser infantil não é uma coisa má. Acho que se perde muito quando se tenta perder toda a infantilidade e ser muito adulto. Sinto que era mais honesta e destemida quando era criança e voltar a esse ponto de auto-conhecimento e auto-confiança é o que tento fazer todos os dias.

  13. Dee, nao tive intencao de a ofender, muito longe disso, respeito é bom e eu gosto.Tenho a certeza que você têm a sua opiniao baseada nas suas experiências de vida pessoais. Nao me diz respeito e
    aceito logicamente que outras pessoas tenham opinioes e atitudes de vida diferentes da minha. E estou longe de acreditar que a minha maneira de interpretar as coisas seja a melhor ou a mais correcta.Isso sim seria ingénuo, e é algo que nunca afirmaria.
    De resto nao conheco ninguem que tenha uma vida inteiramente feliz, sem algum desepero, raiva e tristezas, uns mais outros menos. E viver as diferentes emocoes todos nós vivemos. Sem excepcoes. Viver e exteriorizar o que se sente é saudavel. O que nao é saudavel, Dee é exarcerbar, expecialmente pela negativa. E para nao perder muito do nosso tempo digo-lhe apenas que você talvez nao tenha percebido o sentido da minha mensagem. Eu admiro-a bastante, se assim nao fosse
    nao acompanharia o que nos deixa conhecer da sua vida há tanto tempo, e depois porque embora eu saiba que você tenha motivos para nao estar inteiramente de bem com a vida tenho pena que a Dee, bonita, inteligente, criativa, e meiga (se me permite elogiá-la) que você sempre deixou virtualmente transparecer, se esteja a tornar como eu dizia no meu primeiro post, mais amarga.
    No momento talvez você esteja a pensar,que se você for “desta ou daquela maneira” isso nao diz respeito a ninguem pois a vida é sua e você que nao deve nada a ninguem e vive-a como muito bem entender. E têm razao se assim fôr.
    A minha intencao nao foi ofendê-la, nem mostrar-lhe o rumo que você deve seguir na sua vida,
    dizer-lhe como se deve comportar nesta ou naquela situacao, ou armar-me em Madre Teresa de Calecutá. E talvez isto nao lhe interesse porcaria alguma, mas nao há nada de mal em desejar a
    alguem que seja feliz. Pelo contrário é uma sensacao muito boa.
    Mas com tanta dissertacao foi-se perdendo o verdadeiro motivo da discussao.
    Que vivam os fumadores! 🙂 Os que fumam na praia e os que fumam em recintos fechados tambem,
    e que seja por muitos e longos anos que a morte é certamente uma coisa muito feia e nao se deseja a ninguém! 🙂

    Mais um Abraco e espero nao ser muito castigada se tiver direito a mais uma resposta da sua parte.

    😉

    Be
    ( uma nao fumadora, uma nao conformada, mas uma pessoa compreensiva e feliz e diga-se sem
    a ajuda de quimicos ou lobotomias! )

    P.S–A oferta do chocolate foi a sério 🙂

  14. Ohhh meu deus!! Porque é que toda a gente acha que sabe o que é melhor para os outros?

  15. Este país está a tornar-se o país das proibições. Proibido fumar, proibido circular a mais de 120km, proibido beber, proibido fumar um charro e a lista nunca mais acaba.
    Eu não vivi no tempo de Salazar mas face às circunstâncias penso que na altura era um país com mais alguma liberdade. O Sr. Sócrates que é um indivíduo que vai morrer saudável devia era de banir o tabaco das prateleiras e de tratar melhor da saúde dos portugueses e não andar a fechar unidades hospitalares, centros de saúde, maternidades e afins.
    Por falar no tempo de Salazar, corremos o risco do reaparecimento, embora eles já existam, de delatores, a apontar o dedo aos fumadores e a denunciar quem fuma e onde se fuma. Enfim, o nosso país é pequenino em tudo.

  16. Que comentário mais imbecil, Meskita. Ainda pensei em apagar mas às vezes acho mais interessante deixar as pessoas enterrarem-se.

    É que achar que mais uma proibição é voltar atrás, a uma época em que tudo era proibido até compreendo, mas dizer que havia mais liberdade nessa época é ignorancia pura.

    Para além de proibição de ajuntamentos que ia estragar logo as noites na tasca a beber uns copos, o facto de ser necessário ter licença para isqueiro pode ser também considerado um ataque aos fumadores de uma forma bastante mais retorcida do que a proibição de fumar em espaços fechados públicos.

    E já não posso ouvir falar na questão da saúde quando se fala de fumadores. Não quero saber da saude de ninguém. Mesmo que a proibição de fumar em recintos fechados seja para protecção das pessoas que lá trabalham, não me interessa. O fumo é invasivo, não se pode fugir dele e incomoda-me. Isso chega.

    De resto, tanto quanto sei não é proibido beber. Aliás, beber àguinha até é bastante aconselhado. Quanto a bebidas alcoolicas só é proibido vender a crianças, o que me parece perfeitamente lógico. A única razão que me ocorre para isso te incomodar é se tiveres menos de 16 anos, o que aliás explicava muita coisa.

  17. Meus amigos, gente mal educada e sem respeito pelos outros há por todo o lado e de todo o tipo, fumadores e não fumadores. Aposto que todos vós conduzem, dando cabo do ambiente, da vossa saúde, da minha saúde e da saúde dos meus filhos, dos filhos deles, etc. Pessoalmente já tive carro, neste momento não tenho carro, nem pretendo vir a ter. Tudo por uma questão de desenvolvimento sustentável. No entanto não insulto nem desejo a morte dos donos de carros. Acredito que se falar com aqueles que conheço posso fazer algo para mudar comportamentos, mas nunca insultei ninguém por isso.
    Mas fumo. Tento fumar sempre em situações que julgo que não estou a incomodar ninguém. Agradeço que se alguma vez o estiver a fazer me chamem à atenção (sou sincero, nunca pensei que fumar na praia, espaço amplo e muito arejado pudesse incomodar alguém, mas estamos sempre a aprender e na próxima vez antes de fumar na praia vou ter mais cuidado, embora evite fazer isso porque não há muito sítio onde por a beata.) Mas viver em sociedade é isso mesmo. Respeitar os outros e sermos respeitados, não insultar (porque isso é que é mau e não o desejar a morte pois isso apenas revela uma falta de bom censo nas palavras). As pessoas da praia só por uma coincidência extraordinária viriam aqui parar ao seu blog e como tal este seu ataque aos fumadores apenas revela da sua parte uma falta enorme de civismo e de educação. Se desejava provar a sua superioridade, se acredita na sua capacidade de argumentação o melhor mesmo teria sido dirigir-se directamente às pessoas que, compreensívelmente, a incomodaram. Assim sendo estes dois posts seus são o primeiro acto de cobardia o segundo a defesa do mesmo, no global um zero. Eu, como fumador prometo respeitá-la como não fumadora. Apenas desejo o mesmo. É capaz??

  18. É verdade, podes dizer que tu quiseres, mas se queres realmente ser livre tens de aceitar que nem todos vão concordar contigo. Pareces ser bastante inocente e o teu sentido de moralidade pouco definido ou pior, mal formado. Mas a tua atitude de “eu escrevo o que me der na real gana” é totalmente correcto. Os nazis também escrevem e dizem o que lhes dá na gana, mas continua a ser díficil para mim concordar com o discurso preconceituoso e cheio de lacunas. Assim como me é difícil concordar com o teu discurso. Mas é bom ver que existe essa força que te move contra algo, nem que seja no esconderijo de um blog.

  19. Adoro gajos que escrevem um testamento e depois voltam para mais. Isso é que foi pensar no assunto!

    Epá, Ricardo, estou-me nas tintas se achas que estás sempre a ter muito cuidadinho para não incomodar os outros. Ou é mentira ou não te apercebes do incómodo. E na praia não incomodas ninguém? Não sabes que o vento empurra o teu ar conspurcado para cima de todas as outras pessoas que apanha no caminho? Será possível ser tão inocente?
    Os fumadores não respeitam ninguém. Estão convencidos que sim, mas também há muita gente convencida que é um candeeiro.

    Não tens de concordar comigo. O mundo é feito de pessoas que discordam. Estás a tentar defender o teu vicio e eu estou a defender o meu direito de odiar gajos chatos com a mania que ficam muito cool com um cancer stick nas mãos. É a vida.
    E mais um que foi buscar os nazis. É fantástica a falta de imaginação!

    É ser nazi não gostar de fumadores? Coitadinho! Tão reprimido que ele é. Tenho uma pena imensa, vê lá!

  20. Detesto fumadores na praia. Praia, mar, sol, luz, saúde, corpo, pele bronzeada, desporto, respirar… tudo palavras que se encaixam na perfeição… pelo menos até aparecerem os fumadores. Não há nada mais desagradável que estar a respirar e, sem contar, entrar boca adentro uma baforada de fumo que vem da toalha do lado.

  21. se algum de voces toca no meu cigarro vai haver um grande problema

  22. Oh pahh dee….nunca vi ninguem que tivesse um ponbto de vista tao parecido com o meu! Meu Deus …. Nem sabes como fikop feliz ao saber que existe alguem que pensa como eu…e que detesta essa porcaria !!

    E nao te preokupes..nao es a unica…cada vez k levo com o fumo de alguem..ou ate vejo alguem a fumar por perto…começp a imaginar eu a chegar la e a empastar akele cigarro nojento no focinho delas..mas prontoo… ha quem diga k akilo ainda eh bom…

    Não vou parar ate encontrar um lugsar totalmente livre de fumo..onde possa viver livremente e respiral um ar saudavel!!! ..que infelizmente este país nao me oferece!

Deixar uma resposta