Dias maus

Isto de ter comentários no site é uma coisa complicada. Podia ignorar completamente aquilo que as pessoas dizem mas não sou capaz. Ou apago, ou respondo.  Só que cada resposta dá origem a mais comentários. Se calhar isso só me preocupa porque gosto de ter a última palavra 🙂

É particularmente estranho porque escrevo há anos mas o site nunca foi um diálogo. Foi um monólogo. Propositadamente, porque queria manter um espaço só meu, uma ditadura, so to speak. Ao ponto de eu estar convencida que escrevia só para mim, que ninguém tem de facto paciência de ler isto. É perfeitamente compreensivel. Eu não tenho uma vida particularmente movimentada ou excitante, por isso por que raio é que alguém há-de perder tempo a ler os meus desabafos e as ninharias do dia a dia que escrevo. E como tal, digo o que me apetece sem ter de dar explicações a ninguém.
Agora a coisa complicou-se. No fundo esperava comentários insultuosos e reações violentas aos meus posts mais agressivos porque é mesmo assim. E se um comentário me irritar vou sempre fazer o equivalente verbal de degolar, estripar e deixar as entranhas ao sol como aviso aos seguintes. Não é nada pessoal contra a pessoa que escreve porque nem conheço as pessoas que escrevem. Mas as palavras têm poder e as minhas palavras vão sempre tentar dar porrada nas palavras que me pregaram a rasteira. São as regras do recreio.
A questão é simples: se vou ser honesta comigo própria, que sempre foi o objectivo, tenho de estar-me nas tintas para a opinião das outras pessoas. E é isso que tento fazer. O ser humano é complicado e cheio de sentimentos contraditórios e quanto mais inteligente mais conflitos tem porque tem noção de um maior número de escolhas. Ignorance is bliss. And if you’re not so ignorant what the hell do you do?

Mas aquilo que me fez mais confusão nos últimos comentários foi o facto de  me parecer que um ou dois posts mais depressivos dão a algumas pessoas a impressão que eu estou prestes a enfiar a cabeça no forno. Epá, lamento mas não se livram de mim tão cedo. Nunca tive tendências suicidas. Já pensei nisso, como muita gente, mas acaba por haver sempre qualquer coisa mais que quero fazer, alguém de quem gosto e que não suportava magoar, seja o que for que me impede de cometer tal barbaridade. Posso viver infeliz para o resto da vida mas vou fazê-lo a ranger os dentes e a acordar todos os dias, doa o que doer.

Tenho dias maus e tenho dias bons. Tenho dias, como hoje, em que acordo a pensar em tudo o que há de mau e não consigo ficar na cama mais tempo. Por isso levanto-me e escrevo. Chama-se exorcizar os demónios. E às vezes funciona. E quando funciona  no dia seguinte estou melhor e posso não escrever nada. É mesmo assim.

Isto é o único outlet que tenho uma vez que passo os dias fechada em casa com cinco gatos que não respondem às minhas perguntas. Muita gente nesta situação já teria ficado completamente wacko, por isso acho que até me safo muito bem. Agora, negar que por vezes me apetece matar alguém ou pelo menos torturar com alguns requintes seria mentir, e isso não faço. Se isso me faz uma má pessoa, paciência. Não sou católica por isso não me interessa. Desde que não chegue ao ponto de fazer nada ilegal vale tudo. E tanto quanto sei a liberdade de expressão ainda é legal. Are we clear now?

20 Comment

  1. só não percebo essa faca na mão cada vez que falas. será mesmo necessário?

    boa sorte.

  2. Tenho passado pelo mesmo e ando a ponderar seriamente em retirar a caixa de comentários. Há pessoas que tentam pedir-me contas do que escrevi e do que não escrevi, porque pus esta ou aquela imagem e são pessoas que não me conhecem. Há muita gente por aí que julga que lhes pertencemos só porque escrevemos isto ou aquilo.

    Manda-os dar uma volta.

    Beijinhos

  3. gnoveva, sou mesmo assim. Quem me conhece que confirme. Não vou deixar de o ser só para agradar a pessoas que nem conheço. Sorry to disappoint.

    E ainda por cima assim tem muito mais piada.

  4. ComentadordeServiço says: Responder

    Este blog está a ganhar vida própria…estamos lá Dee!! carry on with this wonderfull blog! pensei num hamster, num pinguim e num peixinho. keep the good work! besitos!

  5. ComentadordeServiço says: Responder

    Esqueçi-me do Gunther…my bad..sorry.

  6. Pois, bem-vinda ao fabulástico mundo dos comentários. Durante pelo menos cinco anos tive que me debater com provocações, mal entendidos, insultos porque os comentários estavam mesmo ali e aparentemente eu irritava muita gente. Agora acho que continuo a irritar, mas o simples facto de ser preciso as pessoas darem email verdadeiro e autenticarem-se afasta o comum anónimo e resta quem realmente quer partilhar uma opinião de maneira civilizada. Toda a gente tem algo a dizer, principalmente no que toca à vida dos outros, assumem que te conhecem pelo que escreves, não aceitam a tua frontalidade ou maneira de ser e acham que te conseguem mudar.. Vai haver momentos em que até te vai divertir responder à letra, outros em que vais achar que a pessoa em causa não merece que gastes energia com ela. Sei que não vais mudar para agradar o público, e tu és the queen of your own website. É uma Deectatorship (hehe) e faz o que te apetecer. No meu site vive-se uma marcianocracia e é assim que tem que ser 🙂

  7. Onde é que anda a faca que eu não vejo nada…

    Este pessoal não percebe definitivamente o significado das frases…”Mas as palavras têm poder e as minhas palavras vão sempre tentar dar porrada nas palavras que me pregaram a rasteira…”

    Para mim é simples e eficaz!

  8. wwwwweeeeeeeeeeeeeeeeeee! That’s my girl!!!

  9. “Deectatorship” é brilhante. 😀

  10. gostei! 😀 ignorance is bliss…quem costuma dizer isso muitas vezes ao dia sou eu! ate devo ter um post no meu blog com esse “nome!” humhum! também não sou muito adepta de comentários, escrevo pra mim não é para os outros, querem ler leiam, não querem não leiam, querem comentar comentem, posso responder ou não, mas se não comentarem também não me ralo! por isso é que ao principio até tirei o sistema de comentários do blog

    não sei como é passar a maior parte dos dias sozinha com cinco gatos mas sei o que é passar metade dos dias sozinha comigo mesma…e isso é ainda pior!!! 😛 e ainda bem que não nos livramos de ti, porque se quisessemos era só deixar de vir aqui ler, e não é isso que vês :)!
    beijinho

  11. “Não vou deixar de o ser só para agradar a pessoas que nem conheço. Sorry to disappoint.” mas eu disse isso???

    ok, conseguiste. fartei-me de tentar comunicar sem ofender ninguém, só mesmo interactividade pacífica e saudável. não estás interessada, paciência. até.

  12. Provavelmente devia era ficar caladinha mas detesto mal-entendidos.
    Gnoveva, aquilo que compreendi do teu comentário \’só não percebo essa faca na mão cada vez que falas. será mesmo necessário?\’ foi \’mas tens mesmo que ser tão agresiva?\’
    O que respondi foi apenas que eu sou naturalmente agressiva. Não é uma coisa que faça de propósito para chatear alguém. É o meu instinto natural atacar para me defender. Cresci numa casa em que toda a gente comunicava aos gritos e é muito dificil ultrapassar isso. Só que acho que não tenho de passar a vida a pedir desculpas por isso. Não disse mais nada.
    Está esclarecido agora?

  13. e o que eu quero dizer é que as pessoas felizmente podem crescer interiormente e melhorar o seu carácter, em vez de passarem a vida a desculpar-se com a triste vida que tiveram. é que às vezes ler-te parece aquela anedota da loura que vê uma casca de banana e diz: oh.. bolas, vou ter de cair outra vez. se sabes que és agressiva, que tal melhorar isso?

    é uma opinião. não é um ataque. aceno a bandeira branca. e vou deixar de comentar porque isto me enerva e o meu by pass desregula-se. boa sorte.

  14. O ponto em que discordamos é que não considero que ser agressiva seja um problema, desvantagem ou defeito. As pessoas são todas diferentes e têm traços de personalidade diferentes. Se achasse que isso me fazia mal de alguma forma, OK, mas não acho. Estou muito bem assim. É essa agressividade que faz com que tenha coragem para fazer certas coisas que preciso de fazer em vez de baixar a cabecinha e fazer o que mandam como um bom carneirinho. Quem parece não gostar és tu mas isso já não é problema meu.

  15. 🙂 dee (agr foi estranho xamar isto a alguem…geralmente é pra mim), quem gostar de ti vai gostar sempre…agressiva, não agressiva, axim, como tu és! tens uma personalidade muito forte, ainda bem, é isso que distingue as pessoas! e tu és muito bonita como pessoa! 🙂

  16. ComentadordeServiço says: Responder

    Oi Pessoal do blog da Dee! Dee2 porque é que te chamas Dee tambem? está fixe ter o mesmo nome..parece a big sister e a little sister:). Eu chamo-me André:).

  17. costumam chamar-me assim…eu até perguntei á dee se queria q pusesse mesmo o meu nome para não haver confusão! não, ela não é minha mana, mas até somos parecidas in many ways (na minha opinião claro) e do que conheço até gosto muito. conheces alguem mais sincero? eu não!

  18. Lá isso é verdade, a Dee tem um dos blogs mais sinceros que eu conheço, se não o mais sincero! É por isso que ando sempre por aqui caída 🙂

  19. ComentadordeServiço says: Responder

    Dee2 és impecável…tinha razão és mesmo a little sister da Dee:) desejo-te umas excelentes férias. um beijinho:)

  20. Yes, we’re clear.
    Your blog is awsome…

Deixe uma resposta