The week so far

Segunda feira passei o dia rodeada de papeis. Sonhei com o que tinha de ir fazer de manhã, o que é a pior forma de acordar. Quando me levantei já estava cansada, depois de ter passado a última hora a imaginar todas as coisas irritantes que me iam acontecer nas finanças por me ter esquecido de um papel ou algo do estilo. Se perder tempo em repartições já é uma seca, sonhar com isso é muito pior. Fui então às finanças, e desta vez, como tinha os papeis todos em ordem, até foi rápido. Depois fui levantar o resultado de análises e passei o resto do dia organizar a contabilidade do trimestre. Tinha mais coisas para tratar mas demorei tanto tempo com esta última tarefa que já não consegui fazer mais nada. Quando o Pedro chegou do trabalho ainda estava de volta da papelada.

Na terça feira estava de rastos, principalmente graças à voltinha relativamente simples que dei para ir buscar as análises. Foram 40 minutos, sendo os primeiros 20 sempre a subir e normalmente faria aquilo nas calmas. Mas às 14 semanas e com uns quilinhos a mais já custa. No próprio dia fico razoavelmente bem mas no dia seguinte conseguia dormir 20 horas de seguida.
Só que não queria sentir-me demasiado preguiçosa por isso fui para a sala fazer bonecos. Acabei duas borboletas, porque já não tinha nenhuma, e fiz finalmente a ovelha, que ficou muito gira. Agora tenho que fotografar as coisas novas, porque também tenho mais uns brincos. Espero ter paciência ainda esta semana.

Hoje fui finalmente tratar das outras tarefas como pagar a garageme e o pagamento especial por conta e comprar mais anti-ácido. Já não tenho tantos enjoos mas passei imediatamente para a azia constante, que da outra vez foi só no final da gravidez. Não posso comer pão, massa, iogurtes, laranjas, etc, que fico imediatamente com o estômago a arder. Entretanto tenho o frigorifico cheio de waffles que fiz no fim de semana – comprámos uma máquina de waffles – e fico com dor de estômago só de olhar para eles. E eu que até gosto tanto daquilo.

Como também tenho o nariz permanentemente entupido, graças ao aumento de volume de sangue (também tenho as veias altamente visiveis – pareço a Willow no final da season 6 da Buffy).

Mas sinceramente, desde que corra tudo bem estes pequenos desconfortos aguentam-se nas calmas.

Com a gravidez parece ir tudo bem até agora. Já tive o resultado do rastreio e desta vez não vai ser preciso fazer a amniocentese. É bom que alguma coisa seja diferente. Acho que começo a sentir-me ligeiramente mais confiante, especialmente agora que consigo ouvir o batimento cardíaco do bebé sempre que queira. É bom para aqueles dias em que me sinto mais insegura, mas tento não exagerar porque não quero alimentar a minha própria ansiedade.

3 Comment

  1. força, rapariga! vais ver que com toda esta gente a torcer por ti nada vai correr mal!

  2. Só hoje me sinto com força suficiente para te/vos desejar toda a sorte. Não vos conheço mas, pela minha própria experiência, faço uma pequena ideia do que tenham passado, e agora estou a torcer pela vossa felicidade.
    Em frente!

  3. Têm aqui mais um “gaijo” a torcer por vós, meus amigos. A torcer tanto que ainda ingresso num circo, como contorcionista 😉
    Desejo, do fundo deste ritmado músculo contundente (vulgo, coração) que, pelo menos, tenham tanta sorte e felicidade como eu e a Graça tivemos (e temos tido) com o nosso pimpolho, o Pedro.
    Podem vê-lo aqui:

    http://www.ruimac.com/pedro/

    Não liguem à estrutura do site… é um daqueles feitos automaticamente pelo Photoshop (sim, sim… casa de ferreiro, espeto de pau ;))
    Mas, sinceramente, gostaria que o conhecessem ao vivo e a cores. Temos de combinar uma lancharada ou uma jantarada. Até porque podemos dar-vos uma quantidade de dicas 😉
    Abreijos deste vosso amigo (e da Graça e do Pedro também)

    Rui Batista

Deixe uma resposta