A saga das creches

Aproveitámos as férias do Pedro para ir visitar creches. Andamos há algum tempo com a indecisão sobre se vale a pena ou não por o Tiago na creche e resolvemos ver as instalações para pelo menos saber quais valem a pena e quais são para esquecer.

Começámos pelo Centro Paroquial de Cacilhas de que não gostámos muito. As senhoras parecem simpáticas e tem um terraço – acho que espaço exterior é sempre importante – mas tem muito ar de hospital, as salas dos mais crescidos pareceram ter muito pouca luz natural e os miúdos têm de descer uma escada bastante ingreme para ir ao refeitório que é no piso de baixo. Tem a vantagem de ser mais barata do que as outras e relativamente perto de casa, apesar de ser sempre a subir, mas pedem montes de burocracia para fazer a inscrição porque aquilo é comparticipado pelo estado e portanto querem tudo, desde declaração do IRS até quanto é que pagamos de renda de casa, para determinar a mensalidade que para nós acabaria por ser o máximo provavelmente. Ainda por cima não havia qualquer garantia de vaga. Tinhamos que o inscrever, pagar a inscrição e depois ver se ele era aceite ou não.

Fomos então à segunda escola, esta bastante mais longe. Fomos ao Mestre Cuco. Gostei da escola apesar de achar as salas pequenas e não ter qualoquer espaço exterior. Penso que as outras instalações para miúdos a partir dos 3 anos são muito maiores e têm um espaço exterior bastante amplo mas a creche nem por isso. A sra foi muito simpática mas não há dúvida que é um infantário muito virado para o negócio – logo à entrada têm uma vitrine com merchandising: t-shirts, chapéus, etc, com o logo da escola. Mas pronto. Isso não é um contra porque não obrigam ninguém a comprar. Gostei do facto de terem boas fotos da escola online o que fez com que já tivessemos uma ideia antes de ir lá e, apesar de ser mais cara do que a primeira, tem uma mensalidade mais baixa do que as duas que vimos a seguir. A maior desvantagem para nós é que é muito longe, e como eu não conduzo, com o extra do transporte já fica muito cara.

A terceira creche que visitámos foi o Barquinho. Também vi fotos online antes de ir lá e pelas fotos pensava que as salas seriam muito escuras mas não são. Têm até bastante luz natural e um grande terraço. Para além disso têm também um ginásio o que quer dizer que os miúdos não passam o dia todo no mesmo espaço e fazem exercício numa zona bem almofadada. Também tem dois pisos mas aqui tem uma rampa em vez de escadas, que me pareceu muito mais seguro. Achei que o chão e os brinquedos estavam um bocado gastos e velhos mas no geral não foi o suficiente para me impressionar negativamente. Para nós tem a grande vantagem de ser perto de casa e não precisar de transporte. O maior problema é que é a mais cara de todas as creches, tanto na mensalidade como na inscrição.Mas aqui ficaria com a mesma educadora até aos 5 anos enquanto que no Mestre Cuco mudaria de educadora e instalações quando fizesse 3 anos.

Por fim fomos ao Piaget. Foi-nos aconselhado por uma vizinha que tem lá o neto e de facto a creche parece boa. As salas são grandes, tem um terraço com bastantes brinquedos e são muito poucas crianças. O chão é novo e achei que tinha um ar muito acolhedor e simpático. A senhora que nos atendeu também foi muito amorosa e saímos de lá com boa impressão. A mensalidade está entre o Mestre Cuco e o Barquinho mas em termos de custo anual acaba por ficar mais perto da do Barquinho porque se pagam 12 meses em vez de 11. Porém foi a única creche que vimos que tinha incluida na mensalidade as fraldas, dodots, material, etc. Como desvantagem tem umas escadas até à porta que não dão muito jeito com o carrinho e para nós é um bocado longe. E aqui também teria de mudar de instalações aos 3 anos.

Básicamente ficámos muito indecisos porque depois de fazer as contas em termos de valores anuais as diferenças não eram assim tão obvias como pareciam inicialmente.

É de facto muito complicado decidir se e quando se deve colocar uma criança na escola. Por um lado penso que o Tiago vai aprender muito em termos de relacionamento com os outros e em termos de disciplina porque eu sou uma desgraça nessa área e deixo-o fazer o que quer. Por outro lado pode sentir-se abandonado e eu vou sentir grande dificuldade em deixá-lo lá ao fim de um ano com ele em casa. Estava finalmente a habituar-me a estar com ele e a não ter tempo para o resto e vai mudar tudo outra vez. E ainda por cima vou ficar lisa para conseguir pagar o infantário. Vou ter mais tempo para trabalhar e assim ter potencial para ganhar mais mas vai ser tudo sugado pela creche. Extras como cortar o cabelo, comprar roupa ou DVDS, ir ao cinema, etc, passam para a lista de coisas a esquecer durante uns tempos mas pronto. É por uma boa causa. Só espero que valha a pena.

Depois de discutir o assunto com os meus pais e com a irmã do Pedro acabámos por chegar a uma conclusão e ontem fomos inscrever o Tiago na escola. Só começa em Setembro, o que nos dá tempo para ajustar à ideia, comprar sapatos, materiais, escrever o nome na roupa, etc, e depois lá vai ele apanhar as doenças e infecções todas deste inverno. Fun fun fun.

9 Comment

  1. Olá
    Peço desculpa por te deixar isto aqui, mas enfim, acho que se ainda não sabem gostariam de saber.

    Dia da Mãe – Lançamento de balões
    from Em busca dos nossos bebés e não só… by Cristina
    No domingo, dia 4 de Maio, dia da mãe, a associação Artémis, está a organizar em 7 distritos do país, um LANÇAMENTO DE BALÕES. Cada um pode lançar um ou mais balões, consoante os bebés que não chegou a ter. Azul (se o bebé era um menino), Rosa (menina) e branco (se não chegou a saber o sexo).
    Pode participar toda a família.
    Em Lisboa, será no Parque da Nações, junto ao teatro Camões, pelas 16 horas.
    Poderão fazer uma inscrição para o evento (não é obrigatório, mas ajuda na sua organização) enviando um e-mail para maes.lisboa@iol.pt.
    Se estiverem noutra parte do país poderão fazê-la, enviando um e-mail para projecto.artemis@iol.pt.

    É mais uma forma de simbolizar a perda e a dor de quem, infelizmente, passa por isto na vida. E será uma forma de chamar a atenção para este problema, que é tão pouco valorizado na nossa sociedade, e que leva imensas mulheres a sofrerem em silêncio.

  2. Alexandra Cardoso says: Responder

    No futuro, quando ele tiver 3 ou 4 anos, vais dar-te muitas palmadinhas nas costas e congratular-te com a tua opção. beijinho.

  3. Epá Claudia, essa coisa do lançamento dos balões parece-me apenas transformar algo que é muito doloroso e pessoal numa grande fantochada.

    Perder um bebé é um acidente. Não é uma doença nem algo que se possa prevenir chamando a atenção das pessoas. Acho que fazer disso um grande espetáculo público é ridicularizar a situação e tentar ganhar dinheiro à custa da tragédia pessoal de muita gente.

    De certeza que há pessoas que pensam de forma diferente mas para mim não faz qualquer sentido.

  4. Bem, não sei qual escolheste mas decerto fizeste o que achaste melhor para o teu filho e para vocês também.
    A oferta é sempre tanta mas, quando analisamos as coisas, começamos a erradicar da lista uns estabelecimentos a seguir aos outros, ou porque são caros, ou porque lhes falta condições, ou mesmo até pelo aspecto exterior. No meu caso, os meus filhos ficaram sempre na casa de uma amiga minha nos primeiros tempos. O mais velho entrou para um infantário que havia na Cruz de Pau chamado novo dia e que agora passou a ser Externato Guadalupe (Verdizela) aos 2 anos. O do meio, por falta de recursos financeiros só entrou com 4 anos para uma creche pública onde ainda se mantém e a saga com a bebé irá começar em breve…estou quase a voltar à escola.
    Acho que, mesmo assim, 3/4 anos é a idade ideal para as crianças começarem a socializar-se e a ter acesso às regras de uma maneira mais formal.
    Bjs e boa sorte com o colégio.

  5. Perder um filho, é uma coisa que nunca uns pais desejam saber como é, a ideia é solidariedade, mas se calhar pode parecer outra coisa.

  6. As crianças quando vão para um colégio, brincam, convivem e aprendem, por isso o espaço é importante, como também, e não que não esquecer as iniciativas que tem em cada colégio,

  7. Olá
    Estamos neste momento na “saga das creches” pela qual passaram! Vamos visitar estas três creches na próxima semana (barquinho, piaget e mestre cuco). Qual foi a vossa escolha? Estão satisfeitos? Aconselham? Obrigada.

  8. bom dia ,desculpa de te disser mas no mestre cuco nao taem de mudar de educadora as educadoras vao para a escola de cima com os meninos delas ate eles irem para a escola normal.
    pois tenho lá o meu menino que entrou com um ano ,pois já tem 4 agora e as educadoras sao as mesmas.
    estou muito contente com o trabalho delas é caro mas compensa .

  9. Olá Claudia, estava apensar inscrever a minha pequena Catarina no Mestre Cuco, sabes quanto é mensalidade para uma bebé de 1 ano? Coneces os infantários do AIPICA? BEIJOS

Deixar uma resposta