300

O Tiago dorme e eu vou escrevendo…

Não tinha grande curiosidade em ver o filme 300 porque sinceramente um filme sobre uma batalha em que já se sabe que os gajos morrem todos no fim parecia-me um bocado pointless. Mas pronto. Resolvi experimentar.

Visualmente o filme está muito bonito, e sendo uma adaptação da banda desenhada do Frank Miller, tentaram transpor o look estilizado das imagens utilizando alto contraste, pouca saturação de cor excepto no vermelho e uso da camara lenta que nos leva a seguir a história quase quadradinho a quadradinho nas cenas mais importantes ou nas confusas cenas de batalha de forma a se poder apreciar em todo o pormenor cada decapitação ou esventramento.

O principio fez-me um bocado de confusão porque a ideia de matar bebés só porque não correspondem ao ideal de força e perfeição deixa-me um bocado enjoada, como é natural para uma mãe recente. Mas muitos destes pormenores estão descritos nos livros de história e apesar de aproveitarem apenas os mais brutais para o filme não os faz menos verdadeiros.

As cenas de batalha que compões a maior parte do filme são cenas de acção violentas como seria de esperar e serão mais ou menos interessantes conforme o interesse de cada um para estas coisas.

De resto, o filme está cheio de over-acting e discursos teatrais, que é obviamente de propósito mas não deixa de ser cómico.

No geral o filme é altamente violento mas está bem feito e até tem partes divertidas. Para os homens é um bom filme de acção, para as mulheres é um catálogo de abdominais. No entanto não me parece que me vá apetecer ver uma segunda vez.

3 Replies to “300”

  1. Também não achei grande piada ao filme, tanto que, vi-o apenas há uns meses e sinceramente já não me lmbro de quase nada…a não ser dos abdominais, claro!
    😉

  2. “Para os homens é um bom filme de acção”

    ….será?….

    O filme é um autêntico suplício, está demasiado “clean” para um retrato daquela época e perde-se de facto em diálogos e explicações em timings errados.
    Quanto à acção, é evidente o excelente treino físico levado a cabo pelos actores mas fica-se por aí.
    Estava à espera de um filme bastante mais negro e realmente agressivo, como é lógico num blockbuster a “coisa” tinha de ser mais “engraxadinha”.

  3. Magellan, leste a BD?

    O filme é muito fiel ao grafismo da BD. Não tem nada a ver com ser engraxadinho, é simplesmente uma linguagem gráfica muito específica, muito comic.

    Não compreender isso é o mesmo que não compreender o Hulk do Ang Lee.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.