Blog

Cartão de Cidadão

Há uns meses reparei que o meu cartão de cidadão estava quase a expirar. Para não perder um dia à espera na conservatória, que muitas vezes acaba por não resolver a coisa obrigando-nos a repetir o processo no dia seguinte, resolvi fazer marcação online. Fiz o pedido a 16 de Maio e a data do agendamento era para 19 de Setembro!

Achei que não fazia mal porque não ia precisar do cartão para nada de especial mas não deixa de ser estranho demorar tanto tempo, especialmente para algo que é obrigatório ter em dia.

Pela positiva reparei que aumentaram o prazo de validade. Obrigar-nos a fazer um novo de 5 em 5 anos era absurdo, especialmente para adultos que não mudam assim tanto nesse espaço de tempo.

No dia 19 lá fui à conservatória. Os computadores são antigos e lentos e estava tudo atrasado. Pior que isso, depois de fazer o processo todo – foto, impressão digital, assinatura, pagamento, etc – no momento em que a senhora da conservatória ia finalizar o processo e imprimir o recibo, deixou tudo de funcionar. O serviço de cartão de cidadão, que deve estar num servidor central, pifou no país inteiro durante umas horas. Ainda esperei uma meia hora enquanto a senhora ligava para outras conservatórias para confirmar que não era só um problema local e depois acabei por ter que ir embora sem saber se tinha ficado feito ou não e sem comprovativo de coisa nenhuma, incluindo o pagamento.

No dia seguinte voltei lá e a senhora confirmou que tinha conseguido finalizar o processo quando o servidor voltou a funcionar e lá me deu o recibo e uma cópia dos dados.

No total paguei 33 euros porque pedi com urgência. Na altura achei que não havia pressa mas entretanto vai haver uma eleição no próximo dia 6 de Outubro e tive receio que o cartão não chegasse a tempo de ir votar pelo que paguei a taxa de urgência.

Ontem lá chegou o papel para ir levantar o cartão. Já não caí na armadilha de agendar data para ir levantar porque isso eram mais 3 meses. Dirigi-me à conservatória, preparada para esperar.

Dei com o nariz na porta. A conservatória está em greve durante as próximas duas semanas, ou seja, mesmo até à data das eleições. Quer portanto dizer que gastei 15 euros para nada e vou ser impedida de votar. Neste momento só me apetece arrombar a porta e ir lá buscar o meu cartão. E quero os 15 euros de volta. Tal como dizia a senhora da conservatória, o estado é que devia pagar a taxa de urgência para eu poder ir votar. Assim é absurdo.

Veja também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.