Manhã comprida

O dia de ontem começou com uma recolha de informação sobre as creches que há aqui na zona. Não é necessariamente para já mas convém estar informada porque nunca se sabe quando vai ser preciso. A que é mais perto e de que ouvi falar bem é também a mais cara.

Depois de almoço o Tiago ficou muito irritado e resolvi deitá-lo para a sesta. Mas ele recusou-se a dormir por isso foi preciso ir buscá-lo e tentar outra vez passado um bocado. Como anda a comer bem outra vez agora voltou à birra para dormir.

Às sete da tarde voltou a fazer birra. Estava acordado há pouco mais de duas horas e ainda experimentei voltar a deitá-lo mas não pegou. Fui buscá-lo ao fim de 15 minutos. Ainda chorou mais um bocado no meu colo mas depois foi para o chão brincar e aguentou-se bem até o Pedro chegar. Eu estava exusta de andar a persegui-lo pela casa e por isso fui tomar banho enquanto o Pedro lhe deu o jantar.

À hora do costume, pouco depois das nove, fomos dar o banho ao Tiago para o meter na cama. Começou novamente a chorar e não parou mais. À noite, quando uma pessoa já está cansada, estas birras são mesmo esgotantes. Felizmente estava tão cansado que acabou por adormecer depressa e dormiu a noite toda.

Eu, por outro lado, acordei a meio da noite com cólicas por isso hoje estou cheia de sono.

A manhã foi então um grande desafio. Andar a perseguir o Tiago quando me doi o corpo todo não é fácil. E quando fui por roupa a lavar deixei-o entrar para a cozinha para ele não ficar lá fora a chorar. Grande asneira. Foi directo à tomada de parede. E eu até já tinha tapado aquela, mas como a Augusta precisa de ligar o aspirador ali acabei por ter de tirar a protecção e ficou assim. É mais um daqueles casos em que fico horas com o coração aos pulos a pensar ‘e se não estivesse a olhar para ele?’

Para além disso começou a gostar de abrir e fechar as portas. Ando sempre a meter travões nas portas para não fecharem totalmente porque já percebi que ele tem uma grande tendencia para entalar os dedinhos. Geralmente é no leitor de cds, que também gosta de abrir (daqueles em que a tampa abre para cima) e depois fecha com uma mão enquanto a outra está lá dentro.

Eu sei que não é possivel impedir tudo e que só com as experiencias é que se aprende que os actos têm conseguencias mas não há dúvida que custa. Acho que se ele se magoasse a sério nunca mais me perdoava.

Pouco antes do meio dia começou outra birra de sono. Tem-me custado identificar porque o choro mudou nos últimos dias. Deixou de ser um choramingar tímido para passar imediatamente àquele choro de estão-me a matar. Primeiro ainda pensei que se tivesse magoado, porque foi de repente, mas como estou sempre a vigiar, quando cai ou bate em qualquer coisa costumo dar por isso. Lá foi outra vez para a cama contrariado mas o esfregar dos olhos e outros sintomas não deixavam dúvidas e adormeceu depressa. E eu queria aproveitar e estender-me um bocadinho mas chegou a Augusta por isso acho que não vai dar.

Deixe uma resposta