Primeiro dia de praia

Ao fim de uma semana tivemos finalmente duas horitas com sabor a férias.

De manhã fomos comprar uns brinquedos para o Tiago. Acho que foi tipo a última despesa antes da poupança que se vai seguir para conseguir pagar a creche 🙂

Fomos à Imaginarium e apetecia sair com a loja toda. Comprámos um fogetão fabuloso que inclui astronautas, um carrinho lunar, um cão astronauta e um alien verde com três olhos. è um brinquedo muito giro e o tipo de coisa que o Tiago ainda não tinha – um brinquedo com bonecos para role-playing. Todos os brinquedos dele são tipo centros de actividades que fazem música ou falam, o que é optimo mas acho que ele precisava de mais variedade, especialmente agora que está a chegar àquela idade em que começa a usar a imaginação para brincar e já não se limita a reagir aos estímulos.

Também comprámos um daqueles puzzles de colocar as peças no buraco com a forma certa porque o Tiago já faz muito bem aquelas tarefas do tipo empilhar copos ou cubos, enfiar as argolas, etc e este é do mesmo estilo mas com um tipo de dificuldade diferente.

De tarde, quando o Tiago acordou da sesta, fomos à praia.

No fim de semana passado esteve um tempo óptimo mas como era fim de semana não nos apeteceu passar duas horas no transito para ir à praia meia hora e voltar para casa. Como o Pedro estava de férias, resolvemos esperar. Só que de segunda para a frente o sol desapareceu e acabámos por não ir a lado nenhum. Hoje era a nossa última hipotese.

O Tiago já tinha estado na praia o verão passado mas era muito pequenino e não gostou muito. Mas desta vez foi completamente diferente. Primeiro não saia da toalha e parecia ter medo de mexer na areia. Como o costumamos levar ao parque e ele odeia mexer na relva, não é de espantar. Mas eu enchi um balde de areia e ele esteve a divertir-se a tirar a areia do balde para a toalha. Quando o Tiago já estava à vontade a enfiar as mãos na areia mostrei-lhe que havia mais por baixo da toalha e daí para a frente foi uma festa. Começou a gatinha pela praia, a esfregar as mãos na areia, a deitar-se a escavar buracos. Divertiu-se como só uma criança consegue e nós divertimo-nos imenso a vê-lo a e segui-lo pela praia fora.

É claro que não se queria vir embora mas acho que por essa altura já estava tão cansado que nem deu muita luta. E pronto. Lá temos nós que começar a aturar o trânsito de fim de semana para ir à praia. Os sacrificios que se fazem pelos filhos 🙂

Deixe uma resposta